segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Winter's passage [The iron fey 1,5], de Julie Kagawa - Opinião

Título original - Winter's passage
Saga: The iron fey #1,5
Sinopse: Meghan Chase used to be an ordinary girl..until she discovered that she is really a faery princess. After escaping from the clutches of the deadly Iron fey, Meghan must follow through on her promise to return to the equally dangerous Winter Court with her forbidden love, Prince Ash. But first, Meghan has one request: that they visit Puck--Meghan's best friend and servant of her father, King Oberon--who was gravely injured defending Meghan from the Iron Fey.
Yet Meghan and Ash's detour does not go unnoticed. They have caught the attention of an ancient, powerful hunter--a foe that even Ash may not be able to defeat....

Opinião:
Uma longa temporada longe da saga e momentaneamente esqueci-me de certos aspectos da história. O bom é que durante a obra a autora dá-nos pistas e chega até quase que resumir o plot principal do volume 1.
Ao ter salvo o seu irmão Ethan com a ajuda do príncipe Ash, o acordo que selaram era a Meghan ir voluntariamente com ele para a corte Winter. Porém ela quis fazer um desvio para visitar Puck, e enfim perceberam que estavam a ser seguidos.
Para sua infelicidade quem os seguia era um ser antigo, um caçador que jamais abandona a sua caçada. Assim começa o jogo do gato e do rato...
Mais um livro lido no âmbito do Desafio Faerie 2017 e também emprestado para o desafio TBR jar challenge
Esta é uma história curta acerca da viagem dos personagens até à terra do Ash. O Ash está preso ao juramento que fez à rainha e sua mãe, de trazer a Meghan à sua presença. Por sua vez, em troca de auxílio ela concordou em ir com ele. Uma vez feito, um juramento tem que ser levado a cabo e não há como contorná-lo. Apesar de agora ele desejar não ter que levá-la.
São bastante evidentes os sentimentos entre os personagens, o problema é serem de cortes opostas, são de famílias rivais, inimigas até. Diferem também em termos fisiológicos, ela é meia humana e fada da corte Summer então a temperatura corporal é como a de qualquer um de nós, já o Ash tem uma temperatura corporal fria, ela refere inclusive que sentiu o ar frio dele (expirado) na nuca.
Foi giro ler acerca da atracção entre ambos e da conexão que criaram, ainda o facto de se protegerem mutuamente, havendo uma incerteza de qual será o seu destino.
O título é muito apropriado e apesar de ter um animal na capa, não associei com o caçador, pensei que estivesse associado ao frio e à passagem pelas terras de Winter.
Ao ler esta história fiquei com vontade de prosseguir com a saga, para descobrir o que espera a Meghan na corte rival.

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

[2017] TBR Jar Challenge 13

Boa noite meus caros,
o mais recente TBR do ano 2017 foi...



* Ler um livro de um autor que já li mas noutro registo (exemplo: outro género literário ou diferente faixa etária)

*Challenge accepted!*

Para ver o progresso dos desafios, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

[2017] TBR Jar Challenge 12

Olá giraços, 
Deixo-vos outro tópico do TBR jar challenge deste ano.



* Ler um livro de um autor que não seja europeu nem norte-americano 

*Challenge accepted!*

Para ver o progresso dos desafios, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

The darkest part of the forest, de Holly Black - Opinião

Título original - The darkest part of the forest
Sinopse: Children can have a cruel, absolute sense of justice. Children can kill a monster and feel quite proud of themselves. A girl can look at her brother and believe they’re destined to be a knight and a bard who battle evil. She can believe she’s found the thing she’s been made for.
Hazel lives with her brother, Ben, in the strange town of Fairfold where humans and fae exist side by side. The faeries’ seemingly harmless magic attracts tourists, but Hazel knows how dangerous they can be, and she knows how to stop them. Or she did, once.
At the center of it all, there is a glass coffin in the woods. It rests right on the ground and in it sleeps a boy with horns on his head and ears as pointed as knives. Hazel and Ben were both in love with him as children. The boy has slept there for generations, never waking.
Until one day, he does…
As the world turns upside down, Hazel tries to remember her years pretending to be a knight. But swept up in new love, shifting loyalties, and the fresh sting of betrayal, will it be enough?


Opinião:
Li este livro como opção para o desafio Faerie deste ano. Andava à procura de um stand alone para não ficar com mais uma saga pendente no final do ano, e deparei-me com este numa listopia do GR. Sem ter tido contacto com o trabalho da autora, optei por ser esta a introdução, já que outros títulos estão no meu TBR challenge.
Numa cidade onde co-habitam humanos e fairies, dois irmãos têm uma paixão platónica por um ser que vive na floresta. Ele estava adormecido há muitas gerações, mas agora a maldição foi quebrada.
Há algo perigoso à solta que está a atacar os habitantes de Fairfold, e a Hazel sente que tem que agir. Ao receber pistas misteriosas, ela comparece numa festa fairie a fim de obter informações e descobre que tem sido peão do rei Oberin devido a uma dívida antiga.
Decidida a salvar a cidade, tem que contactar o seu outro eu e descobrir a espada mágica antes que seja tarde demais ou tudo estará perdido para sempre!
Muitas vezes neste tipo de livros, os autores optam por deixar os humanos na ignorância quanto à existência dos Fae. Pois bem, aqui esse não é o caso. Os locais sabem o que habita na floresta e conhecem a etiqueta e regras que permitem a co-habitação na cidade. Sem dúvida causou uma boa impressão não só a mim, como a leitores pelo mundo fora.
Este livro YA de fairies difere dos outros que li até agora, pois tem dois familiares que desejam o mesmo príncipe. Devo referir que são um casal de irmãos e que o príncipe beija ambos a certo ponto, deixando-nos confusos quanto à sua orientação sexual e preferência. Esta prospectiva foi interessante e a autora deixa-nos o suspense até perto do final.
Aqui a personagem feminina é a cavaleira ao invés de um homem, uma decisão atípica mas que agradou imenso. Dividida entre o seu eu do dia e sem memórias do seu eu da noite, gostei de ler que alguns reflexos e conhecimentos eram inerentes à personalidade que dominava.
Uma leitura rápida, que deixou vontade de conhecer outros trabalhos da autora. Aconselho.

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Best books of 2017 pelo Goodreads

Viva,

5 de Dezembro, a data para a divulgação dos vencedores do Best books of 2017 pelo Goodreads! Os eleitos são escolhidos de entre diversas categorias, com base numa votação pelos membros do GR que decorreu em Novembro.
Já viram os vencedores deste ano? Alguns deles não li nem ouvi falar, mas agora que ganharam mais visibilidade pode ser que vá ler. :)

Best books of 2017

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

[2017] TBR Jar Challenge 11

Pessoal, aqui fica um novo tópico do TBR jar challenge. 



* Ler um livro emprestado

*Challenge accepted!*

Para ver o progresso dos desafios, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

[2017] TBR Jar Challenge 10

Pessoal,  aqui vos deixo outro tópico do TBR jar challenge. 



* Ler um livro escolhido por ter a capa bonita

*Challenge accepted!*

Para ver o progresso dos desafios, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.4