quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Último dia do ano!

Boa noite, já chegamos ao último dia do ano e então todos sabemos que hoje é aquela noite especial! Divirtam-se muito e degustem uma bela ceia junto dos vossos entes queridos, vemo-nos para o ano, com uma esperança renovada de que tudo irá ser melhor! :D

Votos de um próspero Ano Novo

- Bioquímica da Leitura

sábado, 27 de dezembro de 2014

Cobiça [Anjos caídos 1] de J.R. Ward - Opinião

Título original - Covet
Saga: Anjos Caídos #1 / Fallen angels #1
Editora: Quinta essência
Sinopse: Redenção não é uma palavra que Jim Heron conheça muito bem. A sua especialidade é a vingança e, para ele, o pecado é relativo. Mas tudo muda quando se torna um anjo caído e é incumbido da tarefa de salvar sete pessoas dos sete pecados mortais... e o fracasso não é permitido. Há muito que Vin diPietro se entregou ao trabalho... até que o destino intervém na forma de um autoproclamado salvador de aspeto duro e de uma mulher que o fará questionar o seu destino. Com uma entidade malévola pronta a reclamá-lo, Vin tem de unir forças a um anjo caído não só para conquistar a sua amada... mas também para salvar a sua alma.

Opinião: 
Jim Heron é um homem que tem em si tanto de bom como de mau, e por isso foi escolhido para jogar pelo destino das almas, nesta saga Fallen Angels de J. R. Ward. A história tem como ponto de partida a luta eterna entre o bem e o mal, mas nesta fase o Criador cansou-se da guerra e propõe um jogo, no qual o lado que perder será eliminado para sempre, e todas as almas destinadas àquela sentença.
O Jim é um homem outrora ligado às forças armadas, que agora tem uma vida pacata como trabalhador na construção civil, juntamente com Adrian e Eddie. Ao ter uma experiência de quase morte, vai até às portas do céu onde 4 anjos lhe informam do jogo e do seu papel. Jim terá como missão influenciar sete humanos que representam a humanidade, numa altura em que se lhes apresentará uma encruzilhada, e a cada um deles está associado um pecado capital. Começando pela Cobiça.
A primeira alma em jogo é o seu chefe Vin diPietro, que tem uma boa vida, uma casa fantástica e uma namorada belissima, Devina. Sendo riquíssimo quer tudo o que de melhor pode ter, mas apesar disso o seu coração está de alguma forma incompleto. Isso parece alterar-se quando conhece Marie-Terese, uma personagem perseguida pelo seu passado, e devido a isso teve que fazer escolhas muito difíceis...Afinal todos têm os seus demónios.
Esta trama marca pontos, pois todos não são o que aparentam ser e cada personagem está de alguma forma ligada a outras. É um aspecto muito agradável, irmos lendo e descobrirmos as conexões à medida que vamos avançando, uma vez que várias coisas acontecem ao mesmo tempo, e a partir de determinada altura, a acção converge para um desfecho que irá premiar um dos lados. Acompanhamos a iniciação de Jim, que apresenta uma clara tendência para um dos lados, mas será que ele vai ser bem sucedido? 
Um livro fantástico, com reviravoltas incríveis e completamente inesperadas, provocando emoções no leitor que apenas o deixam sedentos por mais e mais. Apaixonei-me pela saga...Adorei e aconselho vivamente! 

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Feliz Natal, pessoal :)

Desejo a todos um Feliz e Santo Natal, que possam passar esta quadra festiva junto daqueles que mais amam! :D

Merry Christmas everyone, may you be with those you love the most! :D


- Bioquímica da Leitura

sábado, 20 de dezembro de 2014

Escolhida [HoN 3], de PC Cast e Kristin Cast - Opinião

Título original - Chosen
Saga: A Casa da noite #3 / House of Night #3
Editor: Saída de Emergência
Sinopse: Forças tenebrosas dominam a Casa da Noite, onde as aventuras de Zoey Redbird tomam um caminho inesperado. Aqueles que aparentam ser amigos afinal revelam-se inimigos. E estranhamente, inimigos oferecem-lhe amizade. Assim inicia-se o terceiro volume desta série viciante onde a força de Zoey será testada como nunca antes. A sua melhor amiga, Stevie Ray, julgada morta, esforça-se por manter a sua humanidade. Zoey não sabe como ajudá-la, mas sabe que tudo o que fizer tem que ser mantido secreto na Casa da Noite.
Como se não bastasse, Zoey encontra-se na rara e difícil posição de ter três namorados. E quando julgava que a sua vida não podia ser mais caótica, vampyros são encontrados mortos. Realmente mortos. Aparentemente, o Povo da Fé cansou-se de viver lado a lado com vampyros. Mas, como Zoey e os seus amigos irão descobrir, as aparências raramente reflectem a verdade...

Opinião:
[Contém spoilers] Se ainda não leste nenhum livro desta saga, que em inglês chama-se House of Night (HoN), vê no blogue as opiniões anteriores (Marcada e Traída) para ficares a conhecer uma das melhores sagas YA do momento!
Terminado um segundo volume incrível, Zoey regressa pelas mãos das autoras, para mais uma história repleta de aventuras. Depois da felicidade pela descoberta de que Steve Ray não se foi para sempre, vem o desespero que querer salvá~la da escuridão.
Descoberta a verdadeira natureza de Neferet, a criadora dos iniciados vermelhos com apenas resquícios de humanidade, Zoey sabe que já não pode confiar nela, que tentou apagar-lhe a memória, e tem que fingir que foi bem sucedida. Sabemos portanto que a iniciada é imune a manipulações mentais e que manter segredo é agora crucial se quer ajudar a amiga.
Sem saber o que fazer, ela precisa de ajuda e de trocar ideias com alguém, mas com a poderosa afinidade de Neferet, como poderá ela partilhar as informações com os amigos? É então que outra pessoa como a Zoey, imune a leituras e influências mentais, torna-se sua aliada, uma atitude improvável que poderá talvez ser o início de uma bela amizade.
A vida amorosa da Zoey parece ter grande peso no livro, ainda com os 3 candidatos ao seu coração: Heath (o ex que tem impressão), Eric Night (o iniciado mais jeitoso da escola) e Loren Blake (o vampyro lindo que é poeta laureado), mas toda aquela indecisão tornou-se um bocado chata. Por outro lado descreve que quando somos adolescentes e as hormonas andam loucas, as emoções podem ser bastante confusas. Enfim, o que acontece é que alguém vai cansar-se da situação.
Para piorar, alguns vampyros são assassinados e parece que vai estalar uma guerra entre humanos e vampyros. 
Até aqui as palavras de Nyx no seu primeiro encontro na gruta no subsolo, batem certo, revelando-se proféticas. A Zoey começa a dominar os elementos e a utilizá-los, e tem Nyx como protectora, que lhe deu grandes poderes mas também grandes responsabilidades, pois fez dela a Escolhida. Tanto stress e confusão acabaram por isolá-la um pouco, levando ao afastamento dos seus amigos e daquele que a ama mesmo...conseguirá ela reconquistar a confiança deles?
A seguir um padrão de escrita fluido e idêntico aos anteriores, as autoras já começam a dar um ar de mais seriedade à obra. Com diversas surpresas e reviravoltas no enredo, este livro fica mais rico com o poder de uma verdadeira amizade e do laço criado entre as personagens. Agora que os eventos estão a tomar um rumo misterioso, a leitura é bastante envolvente, uma verdadeira montanha russa de emoções! Aconselho :)

domingo, 14 de dezembro de 2014

Convergente [Divergente 3], de Veronica Roth - Opinião


Título original - Allegiant
Saga: Divergente #3 / Divergent #3
Editora: Porto Editora
Sinopse: Uma escolha
Pode transformar-te
Uma escolha
Pode destruir-te
A tua escolha
Vai definir-te

A sociedade de fações em que Tris Prior acreditava está destruída - dilacerada por atos de violência e lutas de poder, e marcada para sempre pela perda e pela traição. Assim, quando lhe é oferecida a oportunidade de explorar o mundo para além dos limites que conhece, Tris aceita o desafio. Talvez ela e Tobias possam encontrar, do outro lado da barreira, uma vida mais simples, livre de mentiras complicadas, lealdades confusas e memórias dolorosas.
Mas a nova realidade de Tris é ainda mais assustadora do que a que deixou para trás. As descobertas recentes revelam-se vazias de sentido, e a angústia que geram altera as vontades daqueles que mais ama.
Uma vez mais, Tris tem de lutar para compreender as complexidades da natureza humana ao mesmo tempo que enfrenta escolhas impossíveis de coragem, lealdade, sacrifício e amor.
Alternando as perspetivas de Tris e Quatro, Convergente, encerra de forma poderosa a série que cativou milhões de leitores em todo o mundo, revelando por fim os segredos do universo Divergente.



Opinião:


[Contém spoilers!] O tão aguardado final da saga Divergente!
Demorei um pouco para começar neste volume final porque fiquei um bocado desiludida com o anterior, devido a ter as minhas expectativas demasiado altas, e além disso, alguém largou O SPOILER da série e na altura não me apeteceu ler logo de seguida. Enfim li-o e lá terminei o livro, e digo-vos que tirando uma ou duas coisas, no geral gostei muito. Neste volume, com a queda das facções, a cidade fica sob o comando de Evelyn e dos sem fracção, e eis que surge um grupo rebelde que alicia Tris e os seus amigos a ir além dos limites da cidade, para ir em auxilio do povo que está do outro lado, como foi solicitado no video divulgado. Mas nada vai prepará-los para o que encontram, para a realidade crua e toda a verdade que finalmente é revelada.
Surpreenderam-me muito mais as revelações deste livro do que as do final do Insurgente, que como sabem, decepcionaram-me um pouco. Afinal de contas a percepção que tínhamos de ser divergente estava completamente errada, nunca imaginei que fosse literalmente acerca de genes! Creio que foi uma reviravolta espetacular o enredo deste último volume da saga.
Foi um final inesperado, considero um fim muito digno e bastante adequado para a personagem que era a Tris...tinha tudo a ver com ela! Confesso que me emocionei um pouco. É claro que queremos sempre um final feliz para os protagonistas mas a história não deixou de ficar bonita com a morte dela, sobretudo porque no fim de contas, ela sacrificou-se por amor ao irmão. Foi uma atitude muito linda :)
Apreciei bastante o decorrer dos eventos após a sua morte, especialmente os que levaram a cidade a modificar bem como as mentalidades, e gostei particularmente da parte que nos mostra o Tobias a interpretar o recado que a Tris lhe deixou. Foi uma boa história :') Aconselho mesmo.
Com a leitura deste volume final, concluo o Desafio trilogia de 2014...para o ano há mais!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Mulher solteira procura vingança, de Tracy Bloom - Opinião

Título original - Single woman seeks revenge
- Autora inglesa
Editora: Edições Chá das cinco
Sinopse: Suzie Miller, uma conselheira sentimental desiludida, nem quer acreditar quando o novo namorado acaba com ela por sms. E logo a seguir a terem feito sexo… duas vezes! Decide então que chegou a hora de fazer cada um dos seus ex-namorados sentirem a dor que ela sentiu quando foi abandonada sem qualquer pudor. Os seus métodos são algo insólitos, mas esses homens merecem a humilhação em grande escala. 
Eufórica por finalmente se ter insurgido, começa também a sugerir formas escandalosas para as suas leitoras lidarem com os pesadelos das suas relações. De repente, toda a gente quer conselhos da Suzie. Enfim satisfeita por estar solteira e a desfrutar da sua promissora carreira, parece que a felicidade está mesmo ao virar da esquina. Até que um homem se intromete no seu caminho...

Opinião:
Suzie é uma conselheira sentimental que apesar de aconselhar os outros numa coluna de um jornal, não tem muita sorte no campo afectivo. Após ser novamente abandonada por um namorado, ela fica em baixo e indo contra o conselho do seu amigo Drew, eventualmente liga-lhe pois está convencida que fez algo errado e quer saber o que foi.
Nessa altura, ao descobrir a verdade por detrás do rompimento do namoro com Alex, ela fica furiosa e direcciona essa fúria para dar uma nova vida à sua coluna, o que veio a calhar, já que o editor tinha detestado o formato anterior.
Eis que no dia seguinte surge a oportunidade, numa reunião com o editor, com o Drew e o ex Alex, Suzie apresenta o novo conceito que neste novo formato dá conselhos reais, nada lamechas mas que frequentemente têm uma pitada de vingança e indicam que a mulher não deve "aturar as tretas" dos homens. Ela faz valer a sua opinião ao aplicar os seus conselhos vingativos sobre Alex, conseguindo realmente vingar-se e mostrar ao editor o look renovado e revigorante da nova coluna. Ela sente-se maravilhosa e garante que isto é apenas o começo, é assim que tem inicio um processo de vingança contra os seus ex namorados que outrora a abandonaram...
A escrita é simples e fluente, e a descrição dos eventos é simplesmente fantástica, faz-nos pensar que estamos a ver de perto os momentos vingativos da Suzie, e até em alguns chegamos a pensar que eles estão a provar do próprio remédio...seguindo a máxima actual da vida dela "cá se fazem, cá se pagam".
Um livro fresco com grande dose de boa disposição e momentos verdadeiramente hilariantes, capazes de deixar o leitor preso à narrativa, que a certa altura altera a máxima e segue para "o amor bate à porta quando menos se espera":)

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Dream dark: A Beautiful Creatures story [Criaturas maravilhosas 2.5], de Kami Garcia & Margaret Stohl - Opinião


Título original - Dream dark: A beautiful creatures story
Saga: Criaturas Maravilhosas #2.5  / Beautiful creatures #2.5

Opinião:
[Contém spoilers] Este título é uma pequena história contada pelo Ethan em que o destaque é o melhor amigo, Link. Muitas pessoas adoram a personagem, incluindo eu, e achei muito bom as autoras terem lançado este segmento. A acção passa-se logo após Trevas Maravilhosas e conta-nos da perspectiva do Link, acerca da sua transformação, após ele ter sido mordido pelo John Rider.
Se bem que no final do segundo volume já se tinham notado mudanças, aqui verificam-se outras nomeadamente no apetite, no comportamento (passa a gostar de observar pessoas enquanto dormem) e tem um crescimento acentuado. Todas estas alterações evidentemente são indicativas da nova condição do link, que realmente passa a ser um incubus, ou melhor, um Linkubus como se intitula.
Após descobrirmos que o Macon está vivo e de ter sido recuperado ao nosso mundo como Encantador, quem melhor do que ele para ajudar Link a entender a sua nova vida? Pois é, assim ele vai aprendendo mais acerca de ser sobrenatural. É então que o Macon pede-lhe para entregar uma mensagem a um amigo e que apenas ele com as suas capacidades pode fazê-lo.
Ao chegar lá, depara-se com um cenário de morte mas não parte sem antes trazer um aviso premonitório do que está para vir. Uma bela história para aguçar o "apetite" para o próximo volume :)

domingo, 30 de novembro de 2014

Trevas maravilhosas [Criaturas maravilhosas 2], de Kami Garcia & Margaret Stohl - Opinião

Título original - Beautiful Darkness
Saga: Criaturas maravilhosas #2 / Beautiful creatures #2
Editor: Edições Gailivro
Colecção 1001 Mundos
Sinopse: Ethan Wate costumava pensar em Gatlin, a vila sulista a que sempre chamara casa, como um sítio onde nunca nada mudava. Foi então que conheceu Lena Duchannes, uma misteriosa recém-chegada que lhe revelou um mundo secreto, que sempre estivera oculto à vista de todos. Uma Gatlin que albergava segredos ancestrais por detrás dos seus carvalhos cobertos de musgo e dos passeios gretados. Uma Gatlin onde, há gerações, uma maldição tinha marcado a família de Lena, repleta de poderosos poderes sobrenaturais. Uma Gatlin onde acontecem situações impossíveis, mágicas e capazes de mudar o rumo de uma vida. E, por vezes, capazes de lhe pôr termo.
Juntos conseguem fazer face a tudo o que Gatlin lhes apresenta mas, depois de sofrer uma perda trágica, Lena começa a retrair-se, guardando segredos que põem a relação dos dois à prova. E, agora que os olhos de Ethan foram abertos para o lado mais obscuro de Gatlin, não há volta a dar. Assombrado por estranhas visões que só ele tem, Ethan é ainda mais atraído para a história rocambolesca da sua vila e vê-se preso na perigosa rede de passagens subterrâneas que atravessam o Sul de um modo interminável, e onde nada é o que parece.

Opinião:
[Contém spoilers!] No livro há uma grande quebra na relação do Ethan com a Lena, com o afastamento da rapariga que sente-se culpada pela morte do tio Macon, a sua figura paternal, e por outro lado uma insistência de Ethan em não a deixar ir, e insistir. Ele começa a ter visões, mas desta vez sozinho e descobre mais sobre o passado e alguns eventos que podem ter importância no desenrolar da história.
A Lena começa a fazer algumas más escolhas e anda com más companhias, entre elas a sua prima Ridley que foi Chamada pelas Trevas, e uma nova e misteriosa personagem que também é sobrenatural, John Rider.
Como sabemos ela é uma Encantadora que está entre a Luz e as Trevas, e é verdadeiramente como se sente neste livro, no qual ela é novamente Chamada a escolher. Mais uma vez não se revela uma escolha fácil, visto que seja qual for o lado que optar, ocorrerá uma tragédia familiar...
Neste volume entendemos que vários dos habitantes de Gatlin não são apenas o que parecem, e surpreendem-nos com o que são realmente, por exemplo, ficamos a saber que a mãe do Ethan era bibliotecária dos Encantadores e que o Ethan parece ter uma função especifica a desempenhar na vida de Lena e não me refiro a ser o par romântico.
É uma leitura deveras agradável pois contém diversas reviravoltas, revelações surpreendentes e bastante mistério, num enredo com muita acção e bem interessante, onde as personagens secundárias sobressaem. Aconselho e fico ansiosa pelo próximo volume, uma vez que agora são cantadas "dezoito luas"... :)

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Liga-me, de Sarah Mlynowski - Opinião


Título original - Gimme a call
- Autora canadiana
Editora: Edições Chá das cinco
Sinopse: Devi está a ter um dia estranho: acabou de receber uma chamada do futuro. Pior... quem lhe ligou foi ela própria! 
Devi desperdiçou três anos da sua vida a namorar com Bryan - o bonito, adorável e pulha do Bryan. Devi afastou-se dos amigos, desleixou-se nos estudos, não se juntou a clubes… e como Bryan acabou com ela mesmo antes do baile de finalistas, não lhe sobrou nada. Nem mesmo um telemóvel - deixou cair o seu numa fonte. Agora só liga para um número… o seu! E quem atende é ela própria… três anos mais nova! 
Mal recupera do choque e convence a sua versão mais nova de que não está doida, Devi apercebe-se que tem uma oportunidade de ouro. Pode dizer ao seu "eu" mais jovem todas as coisas certas a fazer… porque ela própria já fez todas as erradas! Se a jovem Devi aceitar os seus conselhos, pode manter os amigos, candidatar-se a uma boa universidade, tornar-se uma estrela, e mais importante, poupar-se ao desgosto amoroso de Bryan! 
Mas a Devi de 14 anos já não tem tantas certezas. Ela gosta de Bryan. É feliz. Mas a quem melhor dar ouvidos do que ao seu futuro "eu"?


Opinião:
Depois de um dia horrível, Devi deixa cair o seu telemóvel na fonte do centro comercial deixando-o à beira do inoperacional, conseguindo apenas ligar para um número: o seu...três anos e meio antes!
Após a descoberta, ela tenta convencer o seu eu de 14 anos de que está a dizer a verdade e tenta influenciá-la a tomar outras decisões, o que lhe vai permitir ter um futuro diferente, que não envolva ficar sem amigas, com o coração partido, distante da sua irmã e com acesso a uma universidade que não é muito boa.
Feitas algumas alterações, o novo futuro é o produto directo das acções da Devi do passado mas a Devi do presente não tem quaisquer memórias da nova realidade, e sempre que algo é alterado tem repercussões imediatas não só na sua vida, como na vida dos que a rodeiam, e é assim que ela mantém o seguimento do que fazer e do que não fazer para não piorar as situações.
A comunicação entre elas mantém-se mas apenas por algum tempo, produzido alguns efeitos desejados pela Devi do presente que sempre tem um conselho sábio para a Devi do passado, que sente a todo o momento, que tem sobre os ombros o peso do seu futuro e que não está a aproveitar a vida.
A história é coerente e engraçadas mas destinada a um publico mais para o juvenil ou YA, com uma boa dose de momentos de comédia, evidenciando que apesar das oportunidades, deve-se manter um bom sentido de moral. Ensina também que independentemente das escolhas que possamos fazer, algumas coisas estão destinadas, e que podemos aprender com isso.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Traída [HoN 2], de PC Cast e Kristin Cast - Opinião

Título original - Betrayed
Saga: A Casa da noite #2 / House of Night #2
Editor: Saída de Emergência
Sinopse: Zoey Redbird pertence à Casa da Noite e sabe que foi abençoada com vastos poderes pela deusa vampyra Nyx. Mas quando começa finalmente a sentir-se integrada entre os amigos e é escolhida para líder das Filhas das Trevas, o impensável acontece: a Casa da Noite é acusada de mortes misteriosas de alguns adolescentes humanos. Mais do que nunca o perigo ronda os amigos de Zoey - e ela sabe que os poderes que a tornam única também ameaçam aqueles que ama. Quando a tragédia chega à Casa da Noite, a jovem precisará de coragem para enfrentar a traição que ameaça o seu coração, a sua alma... e o próprio mundo que a acolheu.

Opinião:
[Contém spoilers] No segundo volume da Casa da noite, Zoey é uma iniciada há apenas pouco tempo, é namorada do Eric Night (o pão da escola), apesar de ter ainda alguns sentimentos por Heath, com quem criou "impressão", já é a líder das Filhas das Trevas e está em aprendizagem para ser sacerdotisa futuramente.
Com o passar do tempo, surge mais um interesse romântico e ficamos com uma espécie de quadrado amoroso, com a entrada do professor lindo de morrer Loren Blake, um vampyro adulto que também mostra interesse por Zoey.
Tudo parece estar bem mas começa a haver umas mortes misteriosas e também há mortes de iniciados que não sobrevivem, quando o seu corpo rejeita a mudança, incluindo a de uma personagem proeminente do seu grupo de amigos, o que é verdadeiramente triste e de partir o coração...confesso que chorei um pouco.
Contrariamente ao que foi dito, o dom da Afrodite não lhe foi retirado e ela tem um visão que revela-se real, permitindo salvar a vida da avó da Zoey, a sua familiar mais querida.
Neste volume, o Heath desaparece e quando a Zoey recorre à impressão (conexão gerada quando um vampyro bebe sangue do humano) para salvá-lo, descobrimos que alguns iniciados mortos, não estão definitivamente mortos...são agora uns iniciados sedentos de sangue, com olhos e luas vermelhas.
Este livro tem uma continuidade imediata após Marcada, e traz suspense, drama e muita acção, e como o próprio título sugere, a Zoey vai ser traída numa revelação bombástica do verdadeiro carácter de uma personagem que lhe é próxima. Uma leitura emocionante e viciante, adorei e anseio pelo seguinte :)

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

À procura de Alaska, de John Green - Opinião


Título original - Looking for Alaska
Editora: Edições Asa
Sinopse: Na escuridão atrás de mim, ela cheirava a suor, luz do sol e baunilha, e, nessa noite de pouco luar, eu pouco mais podia ver além da sua silhueta, mas, mesmo no escuro, consegui ver-lhe os olhos - esmeraldas intensas. E não era só linda, era também uma brasa."
Alaska Young. Lindíssima, esperta, divertida, sensual, transtornada… e completamente fascinante. Miles Halter não podia estar mais apaixonado por ela. Mas, quando a tragédia lhe bate à porta, Miles descobre o valor e a dor de viver e amar de modo incondicional.Nunca mais nada será o mesmo 

Opinião:
Após ver A culpa é das estrelas, fiquei com curiosidade mas minha estreia com o John Green, foi de facto com este livro.
Miles é um rapaz anti-social de 16 anos que quer ir para um colégio interno noutro estado "em busca de uma grande incógnita", e assim o faz. Quando lá chega conhece o seu colega de quarto, o Coronel, que o apelida de Badocha por ser exactamente o oposto do que ele é. Nessa escola conhece os outros amigos do Coronel, Takumi e Alaska, por quem se enamora mas logo se desilude pois toma conhecimento que ela tem namorado. Alaska e o Coronel são famosos por pregarem valentes partidas.
A informação-chave que o Coronel considera pertinente lhe transmitir é que a escola divide-se em 2 grupos: os internos normais e os guerreiros de fim de semana (ricaços que vão às suas mansões passar o fim de semana). 
Na primeira noite, uns colegas levam Miles para a habitual praxe do caloiro, jogá-lo ao lago, mas antes enrolam-no com fita adesiva nos pés e no torso, com os braços presos a ladear o corpo. Quando ele regressa ao quarto e relata ao colega, depressa entendem que se tratava de uma vingança por pensarem que o Coronel era "chibo" (a única coisa a não fazer no colégio), e este promete-lhe que vão ripostar.
Há medida que o tempo vai passando e que vão-se conhecendo, o Miles vai ficando cada vez mais apaixonado pela Alaska que claramente se sente atraída por ele mas não pretende ser infiel.
O livro acaba por ser um relato em contagem decrescente até ao dia em que se dá a tragédia e Alaska vai-se, sendo seguido pela descrição de emoções e eventos ordenados por contagem crescente de dias após o acontecimento. Nesta fase, o Coronel e Miles querem saber o que verdadeiramente aconteceu e iniciam a sua própria investigação secreta paralelamente ao decorrer das aulas.
Este é um livro que ronda muito a questão "e se...?", abordando também alguns aspectos acerca de religiões, que ajuda um pouco a compreender o desfecho. Fala sobre a perda e é contado de maneira tão terra a terra, simples, que em determinadas ocasiões o leitor relaciona-se e vivência a experiência como que se tivesse perdido alguém. Em suma, é uma história triste mas interessante que permite uma reflexão.
Este foi o primeiro livro publicado pelo autor e encantou-nos através da personalidade dos intervenientes da história, com uma escrita fluída e de fácil compreensão, é adequado para diversas faixas etárias.

Outra capa:

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Destinos interrompidos [Destinos interrompidos 1], de Lissa Price - Opinião


Título original - Starters
Saga: Destinos interrompidos #1 / Starters #1
Editora: Editorial Planeta
Sinopse: Callie tem dezasseis anos e vive com Tyler, o irmão mais novo, e Michael, um amigo, nos escombros da cidade de Los Angeles. Quando as Guerras dos Esporos rebentaram, matando todos aqueles que tinham mais de vinte anos e menos de sessenta, Callie perdeu os pais. Como muitos outros Iniciantes, teve de aprender a sobreviver, ocupando prédios desabitados, roubando água e alimentos, fugindo aos Inspectores e combatendo os Renegados. Para tirar Tyler das ruas e garantir ao irmão uma vida melhor, Callie só vê uma solução: oferecer a sua juventude à Destinos Primordiais, uma empresa misteriosa que aluga corpos adolescentes aos velhos Terminantes - seniores, com centenas de anos, que querem ser jovens outra vez. Tudo corre como previsto, até o neurochip que lhe colocaram na cabeça avariar. Callie acorda, de súbito, na vida da sua locatária, a viver numa luxuosa mansão, a guiar carros topo de gama e a sair com o neto de um senador. A vida quase parece um conto de fadas, até Callie descobrir que a sua locatária não quer apenas divertir-se e que, no mundo perverso da Destinos Primordiais, a sobrevivência é apenas o começo.

Opinião:
Descobri este livro de modo casual porque o segundo volume estava a ser sorteado numa rede social e chamou-me a atenção, então procurei este primeiro volume da saga Starters and Enders, fui ler a sinopse e suscitou-me interesse.  
A acção decorre numa situação de pós-guerra, a guerra dos esporos, que dizimou a população activa (os adultos) deixando apenas os grupos de risco que foram vacinados: os iniciantes (jovens) e os terminantes (idosos). Esta nova sociedade é pautada por grandes diferenças sociais e a malta jovem que não tem família, passa fome nas ruas (é o caso de Callie, o irmão Tyler e o amigo Michael) ou é apanhada e levada para instituições.
É então que Callie se desloca à Destinos Primordiais, para alugar o seu corpo aos terminantes ricos que por um período de tempo, vivem no seu corpo recorrendo a um neurochip. Isto permitir-lhe-à ter dinheiro suficiente para arranjar um sitio onde viver e com condições adequadas à saúde frágil de Tyler. 
Após uma queda, há um mau funcionamento do chip e ela percebe que acordou a meio de um aluguer e tem que continuar a fingir que é a locatária, é assim que entende que a senhora tem intenções ilícitas, e enquanto está acordada, tenta inviabilizar os planos dela.
Passado uns dias, ela consegue-se comunicar mentalmente com a idosa, que a submeteu a uma alteração no chip quando estava no controlo, e desta forma são-lhe feitas revelações acerca da companhia, presidida pelo Velho. Eventualmente elas formam uma parceria para descobrirem o que está por trás daquela fachada e descobrirem o paradeiro da neta dela e dos outros jovens desaparecidos. Mas alguém na companhia repara no que está a acontecer e assassina a idosa! Agora Callie tem que continuar na busca por justiça mesmo que para isso tenha que revelar quem é verdadeiramente, aumentando assim o perigo...
Este primeiro volume deixou-me satisfeita mas com muita vontade de ler o último, adorei a história, o acto de amor, o mistério, a busca por justiça..enfim gostei de tudo. A escrita está bastante fluída, e as personagens são interessantes, quero mesmo saber quem é o maléfico Velho...irei descobrir assim que ler o próximo volume que já tenho em minha posse hehe

terça-feira, 4 de novembro de 2014

A invenção de Morel, de Adolfo Bioy Casares - Opinião


Título original - La invención de Morel
- Autor argentino
Editora: Antigona
Sinopse: Invenção de Morel tem muitas facetas: é um romance fantástico e um romance de aventuras, mas também uma reflexão em torno das fronteiras da realidade, em torno do amor e da imortalidade. O narrador, um fugitivo, chega a uma ilha que julga deserta. Porém, um dia descobre que não está sozinho. Ouvem-se vozes, canções, aparecem e desaparecem pessoas... E aqui começa o mistério, a alternância entre alucinação e realidade, que o leva a enamorar-se de uma mulher cuja existência é duvidosa. Quando por fim consegue decifrar o enigma, idealiza igualmente a forma de ficar para sempre com a sua amada.

Opinião:

Iniciei a leitura desta obra e fui prosseguindo sempre com curiosidade mas achei muito confusa a principio, honestamente, havia alturas que não entendia o que se estava a passar!
Começa por ser um relato dos acontecimentos na vida de fuga do protagonista numa ilha deserta, outrora tomada pela doença, sob a forma de um diário. Após muitas dificuldades, há relatos do que ele pensa serem alucinações ou meras ilusões, ele vê pessoas e ouve música, e depois verifica que não estão lá mas que de alguma maneira, aparecem mais tarde novamente. Numa dessas ocasiões ele observa uma mulher por quem se apaixona, Francine, e decidido a declarar-se, tenta abordagens mas sem efeito.
Após algum tempo, ele observa um padrão de repetição de eventos, e isso aguça-lhe a curiosidade, de modo a que ele aproxima-se e começa a ouvir conversas...desta forma ele descobre o que verdadeiramente está a acontecer na ilha. Tudo tem uma razão de ser, tudo está relacionado com a invenção de Morel...
Nunca tinha ouvido falar deste autor, de facto este livro foi-me emprestado por um colega que o tinha adquirido à pouco tempo e aconselhou-mo por ter gostado. A escrita é confusa mas creio que é assim mesmo, faz parte da história, visto ser o relato de um homem numa ilha abandonada e com poucas condições para sobrevivência. O final é um pouco diferente mas agradou-me.

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Harry Potter e a Câmara dos segredos [Harry Potter 2], de J. K. Rowling - Opinião


Título original - Harry Potter and the chamber of secrets
- Autora inglesa
Saga: Harry Potter #2
Editora: Editorial Presença
Sinopse: Harry Potter está ansioso por ver terminadas as medonhas férias de Verão que está a passar com os Dursleys, os Muggles mais Muggles de todo o planeta. Mas o tempo parece ter adormecido, ou então está com muita preguiça, porque nunca mais passa. Entretanto surge uma visita inesperada - uma estranha criatura de grandes olhos verdes e enormes orelhas, o elfo Doddy, que trás um sério e terrível aviso : HARRY POTTER NÃO DEVE VOLTAR PARA HOGWARTS.
E a verdade é que no seu segundo ano na escola de feitiçaria, Harry vê-se envolvido numa terrível espiral de perigos e desventuras. Vozes horripilantes sussuram, vindas das paredes; algo ou alguém anda a transformas os alunos em pedra; aparecem fantasmas tenebrosos e aranhas gigantes; e um dia um misterioso aviso é escrito em letras brilhantes numa parede de Hogwarts: A CÂMARA DOS SEGREDOS FOI ABERTA. INIMIGOS DO HERDEIRO, CUIDADO.
Mas o que isto significa? Harry Potter, Ron e Hermione vão fazer tudo para resolver este mistério, arriscando as suas próprias vidas.


Opinião: 
Após as férias de verão, Harry e os seus amigos voltam para o 2.º ano em Hogwarts onde retomam os estudos e começam as peripécias. Mas mesmo antes disso, Harry recebe a visita de Dobby, um elfo doméstico que o alerta sobre o risco de vida que ele corre ao voltar para  a escola de feitiçaria. Pelo caminho, ele e Ron vêem-se impossibilitados de apanhar o comboio, pelo que decidem ir no carro voador do pai do Ron, o mesmo veículo que mais tarde os salva de um ataque de aranhas gigantes.
Neste livro tem mais ênfase uma antiga lenda acerca da existência da Câmara dos Segredos e da criatura que lá habita, outrora dominada por Slytherin. Torna-se evidente a sua existência uma vez que misteriosos ataques começam a decorrer na escola e os três amigos decidem então investigar.
Através de um diário mágico que encontram, ficamos a conhecer Tom Riddle e acerca do período em que Voldemort era jovem e frequentava a escola. Durante a sua investigação, os amigos recorrem à poção polisuco permitindo-lhes encarnar outras pessoas, mas para Hermione não tem o efeito desejado, proporcionando alguns momentos hilariantes.
Noutras ocasiões descobrimos que tanto Harry, Voldemort e Slytherin conseguiam falar serpêntes, facto que se torna crucial numa fase mais avançada do livro.
Já na câmara dos segredos, através das suas atitudes Harry prova ser um verdadeiro Gryffindor e também verdadeiramente leal a Hogwarts pelo que a fénix de Dumbledore vai em seu auxilio.
Na fase final do livro, Dobby que em várias ocasiões surge sempre alertando Harry para os perigos, é libertado com a influencia de Harry e ficam amigos.
Uau! Que evolução! Adorei este volume, Achei-o muito melhor do que o primeiro, que como sabemos, foi uma bela introdução a este mundo encantado. Ainda pautado por uma atmosfera mais infantil, achei que tem uma história espetacular, repleta de mistérios, acção, descobertas e reviravoltas, não estava à espera disto mas fiquei estupefacta. Rowling mostra-nos mais uma vez a sua mestria e conduz-nos através de um enredo de perder o fôlego.


Outras capas:
  

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Danças na Floresta, de Juliet Marillier - Opinião


Título original - Wildwood dancing
Editora: Bertrand Editora
Sinopse: Este livro da autora é inspirado no conto de fadas As Doze Princesas Bailarinas. É a história de cinco irmãs intrépitas, em luta com quatro criaturas sinistras, três misteriosos presentes mágicos, dois amantes proibidos e um sapo enfeitiçado. Há muitos mistérios na floresta. Jena e as suas irmãs partilham o maior de todos, um segredo fantástico que lhes permite escapar à vida diária nos campos da Transilvânia, e que mantiveram escondido durante nove anos. Quando o seu pai adoece e tem de abandonar o seu lar na floresta durante o Inverno, Jena e a sua irmã mais velha, Tati, ficam encarregues de cuidar da casa e das outras irmãs. O surgimento de uma misteriosa jovem de casaco preto faz nascer o amor numa das irmãs e, subitamente, Jena apercebe-se que tem de lutar para salvar aqueles que lhe são mais queridos. Acompanhada por Gogu , Jena tem de enfrentar grandes perigos para preservar não só as pessoas que ama, como também a sua própria independência e a da família.

Opinião:
Inspirada no conto "As doze princesas bailarinas", a autora criou um mundo mágico paralelo a uma realidade de época, muito bem descrito, habitado por uma grande variedade de criaturas, que nos faz verdadeiramente querer transpor as páginas. Há muitos anos, as irmãs descobriram acidentalmente um portal para esse mundo, que apenas pode ser aberto na lua cheia. A partir dessa altura, têm-no visitado sempre para dançar com as criaturas do outro mundo, seguindo regras de segurança que elas estabeleceram entre si.
A história começa no ano que o pai viúvo tem que ausentar-se por motivos de saúde, deixando as cinco filhas na sua residência na floresta durante o rigoroso inverso, a tomar conta da casa e do negócio. 
Numa das visitas ao mundo mágico descobrem novos seres, o Povo da Noite (vampiros), e surge uma paixão entre um deles, o Tristeza e a irmã mais velha Tati, o que não é nada bem visto aos olhos de Jena, a personagem principal, e do seu sapo de estimação Gogu. Por algum motivo ela consegue ouvir os pensamentos do sapo e assim se comunicam.
Após elas ficarem com pouquíssimo dinheiro para a casa, o primo Cézar decide tomar as rédeas e revela-se um tirano controlador que quer mandar em tudo e todos, por ser homem. A situação piora imenso quando há uma morte na vizinhança, ao que parece foi um ataque de vampiro, e ele organiza uma autêntica "caça às bruxas" pois quer vingança, não apenas por este incidente mas também porque ele culpa as criaturas mágicas pela morte do seu irmão há muitos anos.
Uma história mágica, contada com mestria do ponto de vista de Jena, onde se observa que nem tudo o que parece o é, e deixando-nos maravilhados com o pensamento de que por vezes contos de fadas existem!
Achei a escrita simples e fluída, e as personagens bem construídas, cada um com a sua personalidade própria, se bem que havia alturas que me irritavam profundamente as atitudes de Cézar e algumas da Tati. Este livro marcou a minha estreia com a autora e admito que fiquei com vontade de ler mais, fiquei fascinada com um mundo encantador que nos faz sonhar.. Adorei este livro e aconselho vivamente.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Insurgente [Divergente 2], de Veronica Roth - Opinião


Título original - Insurgent
Saga: Divergente #2 / Divergent #2
Editora: Porto Editora
Sinopse: A tua escolha pode transformar-te - ou destruir-te. Mas qualquer escolha implica consequências, e à medida que as várias fações começam a insurgir-se, Tris Prior precisa de continuar a lutar pelos que ama - e por ela própria.O dia da iniciação de Tris devia ter sido marcado pela celebração com a fação escolhida. No entanto, o dia termina da pior forma possível. À medida que o conflito entre as diferentes fações e as ideologias de cada uma se agita, a guerra parece ser inevitável. Escolher é cada vez mais incontornável... E fatal. Transformada pelas próprias decisões mas ainda assombrada pela dor e pela culpa, Tris terá de aceitar em pleno o seu estatuto de Divergente, mesmo que não compreenda completamente o que poderá vir a perder.A muito esperada continuação da saga "Divergente" volta a impressionar os fãs, com um enredo pleno de reviravoltas, romance e desilusões amorosas, e uma maravilhosa reflexão sobre a natureza humana. Veronica Roth: melhor autora - GoodReads 2012 "Divergente": melhor livro de fantasia para jovens-adultos - GoodReads 2012

Opinião:
[Contém spoilers] Após concluir um magnifico primeiro livro quis imediatamente começar neste, continuar onde tinha parado e devorar mais páginas! Aqui acompanhamos a fuga das personagens e todo um processo para tentar obter a informação que foi retirada durante o ataque. Consumida pela culpa após matar o seu amigo, Tris parece não valorizar a própria vida ao longo deste livro. Também a sua relação com Tobias fica muito conturbada neste volume, pois passam grande parte do tempo a mentirem um para o outro.
É-nos dada a conhecer a sua mãe e líder dos sem facção, Evelyn, que tem o mesmo objectivo que Tris, Tobias e os outros: quer destronar a erudição, e tem um papel de peso nesse sentido. Ficam então aliados, apesar de Tris e Marcus terem a sua própria "agenda".
Eu tinha as minhas expectativas muito altas, pelo que lamentei que este livro não as tenha superado, apesar de ter gostado do contorno que a história está a seguir e das suas reviravoltas. Tivemos algumas respostas a coisas que ficaram no ar no volume anterior.
Fiquei super irritada ao descobrir que o Caleb "entregou" a irmã, e nem conseguia imaginar o que seria tão grave para levá-lo a fazer uma coisa dessas. E então, mesmo no final do livro, a informação é libertada e o video é transmitido. Devo dizer que não me impressionou muito, não sei bem porquê, mas estava à espera de outra coisa. A informação final também não superou as expectativas e com esta desilusão, creio que deverei levar algum tempo até ler o volume final.
Este livro marca um progresso no Desafio trilogia deste ano, pois é o segundo volume.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Vencedor do prémio Leya 2014 é descendente de Eça de Queiroz


Afonso Reis Cabral sagrou-se vencedor do prémio Leya 2014, com o livro "O meu irmão". O jovem de 24 anos é bisneto do malogrado escritor Eça de Queiroz e arrecadou um prémio de 100 mil euros.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Cinco quartos de laranja, de Joanne Harris - Opinião


Título original - Five quarters of the orange
- Autora inglesa
Editora: Edições Asa
Sinopse: Framboise regressa à pequena cidade onde nasceu, na província francesa, e abre aí um restaurante que rapidamente se torna famoso, graças às receitas de um velho caderno que pertencera à sua mãe. Essa espécie de diário contém igualmente uns estranhos apontamentos cuja decifração lançará uma nova luz sobre os dramáticos acontecimentos que marcaram a infância da protagonista nos dias já longínquos da ocupação nazi. Framboise recorda os sabores e os sentimentos da sua infância, numa França marcada pela dor e pela penúria da guerra, e muito especialmente um episódio que marcou a vida da família e constitui, para ela, a perda definitiva da inocência. Agora, já no Outono da vida, chegou a hora de enfrentar a difícil verdade.

Opinião:
A personagem principal Framboise (Boise) narra a história em dois tempos: quando já tem uma idade mais avançada e no passado, que recua até à sua infância na época da guerra mundial, quando vivia na França com a mãe e os seus irmãos. A progenitora anotava as suas receitas num caderno que também servia de diário, item que foi herdado pela Boise após a sua morte, e as receitas lá registadas eram o segredo do seu bem sucedido negócio.
Na infância, Boise recorria a cascas de laranja para poder sair despreocupadamente e se livrar da mãe, cujo odor lhe dava fortes enxaquecas, e essas alturas eram períodos negros para a mãe, que por vezes não se recordava dos acontecimentos, pelo que normalmente retirava-se para o seu quarto.
Na mesma ocasião, os irmãos conhecem o nazi Tomas por quem Boise se apaixona e isso origina uma busca pelo Velho, um lúcio grande, que segundo a lenda, se fosse apanhado e devolvido ao rio, concedia um desejo. E é isso que Boise pretende, pedir que Tomas não se vá embora, mas esse evento acaba por desencadear uma série de acontecimentos que mudam completa e definitivamente a vida de todos.
Já no presente, surgem os sobrinhos dela que querem reivindicar o caderno/diário sem à partida revelarem as suas verdadeiras intenções, e isso dá origens a quezílias entre gerações. Paralelamente, fica a percepção que algumas feridas do passado podem ser curadas, e que nunca é tarde para amar.
Alternando presente e passado, a autora conta-nos uma história de vida, fala-nos sobre um infeliz acidente, uma dramática tentativa de disfarçá-lo como um produto de uma guerra não muito distante, e das consequências que daí advêm.
A autora surpreendeu naquele que foi o primeiro romance que li da sua autoria. Com uma escrita fluída, personagens interessantes e uma história verdadeiramente cativante, apesar de não apreciar muito literatura relacionada com os tempos de guerra e respectivos actos descritivos, fiquei fã e com vontade de ler outros títulos.


Outra capa:

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

União [Matched 1], de Ally Condie - Opinião



tulo original - Matched
Saga: Matched #1
Editora: Edições Gailivro
Colecção: 1001 Mundos

Sinopse: Cassia sempre confiou nas escolhas dos Funcionários. É um pequeno preço a pagar por uma vida longa, um emprego perfeito, um companheiro ideal. Quando o seu melhor amigo aparece no ecrã da União, Cassia tem a certeza absoluta de que ele é o certo… até ao momento em que vê um outro rosto aparecer no ecrã, por breves instantes, antes de este ficar negro. Agora Cassia vê-se confrontada com escolhas impossíveis: entre Xander e Ky, entre a única vida que conhece e um caminho que nunca ninguém ousou seguir - entre a perfeição e a paixão.

Opinião:
Esta é uma daquelas histórias onde os personagens vivem numa sociedade muito regrada e limitante, que embora pautada por algumas diferenças entre classes, o objectivo é o mesmo: a harmonia do todo. 
É com este propósito que há um recolher obrigatório, há apenas 100 de tudo (livros, músicas, poemas, filmes...), os alimentos são específicos para cada individuo e os pares são perfeitos, sem equivoco, para partilharem a vida inteira. Tudo faz sentido para Cassia pois aquela é a realidade que sempre conheceu, até que uma falha no ecrã da União lhe mostra dois rapazes e a faz repensar nas escolhas dos Funcionários. 
Mesmo depois de ser assegurada que Xander é o seu verdadeiro par e da explicação da impossibilidade de Ky estar apto, surge uma centelha de dúvida e curiosidade. A tendência é aproximar-se de Ky mesmo sabendo que não é correcto, o que faz despertar sentimentos que inicialmente são reprimidos.
O conhecimento da informação chave acerca do "erro" no ecrã aliado aos sentimentos crescentes, despoletam algumas atitudes que vão ter repercussão nos eventos quase finais do livro.
Esta é uma história interessante que alia uma força de quebrar as amarras da sociedade que lhe mostrou o amor perfeito, pela conquista de um amor desconhecido e que poderá ser o certo. Com um final surpreendente que evidência continuação num próximo livro, este é o primeiro de uma trilogia que promete dar que falar. A leitura é leve e a história é apelativa, gostei bastante e aconselho. Contudo no nosso país, ainda não está traduzido o segundo volume, e até agora parece que vai continuar assim :(

sábado, 4 de outubro de 2014

As gotas de um beijo, de Carina Rosa - Opinião

- Autora portuguesa
Editora: Alfarroba
Sinopse: David é um homem pacato e solitário, desde que o seu casamento de vinte anos terminou. É no stand de automóveis que dirige que afoga as memórias do passado e a solidão do presente. Afastado de casa e dos filhos, é obrigado a gerir sozinho as acções e as escolhas que fez ao longo da vida, nas quais Diana, uma amiga de infância que considera irmã, tem um papel fundamental. Diana é o seu porto de abrigo e o seu braço direito, mas foi mais do que isso durante o casamento agora destruído. 
A afinidade entre David e Diana, também divorciada, é quebrada pela chegada de uma mulher ruiva que revela muito pouco de si própria. Laura é atraente e misteriosa e a atracção que sente por David é mútua e intensa. Será ela a mulher doce e simples que aparenta ser? 
Entre o stand e a joalharia que os separa, passa a alternar-se a languidez dos dias com a turbulência das noites, e David acaba por se embrenhar num mundo perigoso de segredos, mentiras e traições. Dividido entre duas mulheres, estará David a encaminhar-se para o fundo do abismo?

Opinião:
A história principal gira em torno de David, um homem divorciado que tem uma amizade de longa data com Diana, ficaram amigos desde o primeiro dia de aulas. É apenas uma amizade verdadeira na qual dois amigos se apoiam mutuamente mas que foi interpretada como rivalidade durante o seu casamento.
Porém, agora esta não é a única mulher na vida de David, no início do livro ele apaixona-se à primeira vista por uma misteriosa ruiva que veio trabalhar no negócio ao lado do seu stand. Além de trazer cor à sua vida, vai agitar o seu mundo.
No livro seguimos três personagens com maior relevo, três vidas, três histórias que são narradas ao longo do romance. São personagens bem construídas, com percursos de vida bem estruturados, com características muito próprias.
Confesso que este é o primeiro livro que li que aborda uma triste e infeliz realidade, que é a violência doméstica. Algumas partes até me impressionaram de tão detalhadas.
Esta foi a minha estreia com a autora, cuja obra descobri de modo casual numa rede social. A sinopse suscitou-me interesse e fiquei logo com curiosidade, pelo que adquiri de imediato um exemplar. Gostei muito e com certeza quero ler mais :)

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Divergente [Divergente 1], de Veronica Roth - Opinião


Título original - Divergent
Saga: Divergente #1 / Divergent #1
Editora: Porto Editora
Sinopse: Na Chicago distópica de Beatrice Prior, a sociedade está dividida em cinco fações, cada uma delas destinada a cultivar uma virtude específica: Cândidos (a sinceridade), Abnegados (o altruísmo), Intrépidos (a coragem), Cordiais (a amizade) e Eruditos (a inteligência). Numa cerimónia anual, todos os jovens de 16 anos devem decidir a fação a que irão pertencer para o resto das suas vidas. Para Beatrice, a escolha é entre ficar com a sua família... e ser quem realmente é. A sua decisão irá surpreender todos, inclusive a própria jovem. Durante o competitivo processo de iniciação que se segue, Beatrice decide mudar o nome para Tris e procura descobrir quem são os seus verdadeiros amigos, ao mesmo tempo que se enamora por um rapaz misterioso, que umas vezes a fascina e outras a enfurece. No entanto, Tris também tem um segredo, que nunca contou a ninguém porque poderia colocar a sua vida em perigo. Quando descobre um conflito que ameaça devastar a aparentemente perfeita sociedade em que vive, percebe que o seu segredo pode ser a chave para salvar aqueles que ama... ou acabar por destruí-la

Opinião:
Numa Chicago futurista, todos têm o seu lugar na sociedade, pelo menos até aos 16 anos, momento em que fazem uma escolha acerca da facção que vão abraçar. A partir deste momento, não há volta, é definitivo..mantêm-se lá ou juntam-se aos sem facção. 
Beatrice teve um resultado inconclusivo no seu teste de aptidão, o que significa que ela é divergente e a sua instrutora afirmou ser perigoso revelar isso a alguém, pelo que ela ficou confusa e dividida. No dia seguinte teria que fazer uma escolha, e mesmo não sabendo, essa escolhia iria definir o destino de todos.
Eis que ela escolhe a facção mais perigosa de todas e tem que fazer-se valer, pois é pequena e aos olhos dos outros, é aparentemente frágil. Adoptando o nome Tris, conhece Four o seu bonito instrutor, cria laços com os seus novos amigos e inicia os treinos e as provas, pois apenas os melhores irão manter-se naquela facção.
Contudo, no dia seguinte à cerimónia final de boas vindas do grupo que concluiu as provas, a Tris acorda e nota que algo de muito estranho está a acontecer com os seus companheiros. Ela percebe que algo está mal mas entra na charada e finge estar sob o mesmo efeito de transe, só assim ela consegue passar despercebida. Mas na altura que desembarcam na sua antiga facção, Tris compreende que algo está horrivelmente mal e é compelida a agir...
Este é um livro com uma história aliciante, a protagonista é interessante mas o quatro é talvez a personagem mais bem construída. Gostei do conceito de divergente e do que representa, e especialmente do facto de quem o é, poder fazer diferença na altura que os colegas de facção são controlados. Gostei igualmente da acção que fica subentendida durante as provas de iniciação. Algumas coisas ficaram por responder mas acho que seria de esperar visto que se trata de uma trilogia.
O enredo é muito interessante e só tive vontade de devorar o livro e passar ao seguinte. 
Auto-propus-me um "desafio trilogia", que como sabemos, significa que terei que concluir a leitura de uma trilogia antes do final do ano, e este livro marca o inicio do desafio :)


Outra capa:

domingo, 28 de setembro de 2014

Tão veloz como o desejo, de Laura Esquível - Opinião


Titulo original - Tan Veloz Como El Deseo
- Autora mexicana
Editor: Edições Asa.
Sinopse: Júbilo veio ao mundo com um imenso sorriso e o dom de ouvir as palavras que habitam no coração das pessoas que o rodeiam. Era ainda menino e – ao servir de intérprete entre a avó, orgulhosa representante do povo Maia, e a mãe, de língua espanhola – já adoçava as palavras amargas que ambas trocavam, conseguindo que desse ódio nascesse respeito e amor. 
No México dos anos vinte, Júbilo é já um homem e trabalha como telegrafista, ocupação que lhe permite fazer bom uso do seu Dom, pois continua a ajudar as pessoas a revelarem o que lhes vai na alma, reescrevendo as mensagens que enviam. A felicidade plena chega quando Júbilo conhece Lucha, por quem se apaixona perdidamente. Enfeitiçados um pelo outro, casam e vivem uma vida de sonho. 
Muitos anos passados, o telégrafo está abandonado, obsoleto que é como forma de comunicação; e Júbilo, solitário no seu leito de morte, onde jaz cego e mudo, sofre ainda com a tragédia que um dia o afastou da mulher, o seu grande e único amor. 
Que acontecimento trágico poderá ter-se interposto entre os dois amantes, provocando um dano tão irreparável? 
Mas Luvia, a filha de ambos, nascida já após essa inexplicável tragédia familiar, não vai descansar enquanto não desenterrar o fantasma do passado e desvendar o que está por detrás dessa história de paixão e amargura.


Opinião:
A história conta a vida de Júbilo, o mais novo de 12 filhos, desde o seu nascimento no seio de uma família que nunca teve muitas possibilidades, até ao tempo presente, onde se lê que padece de Parkinson e perdeu a visão e a fala devido à medicação. 
O Júbilo nasceu com o dom da palavra que inicialmente lhe permitia amenizar conflitos, mas depois que inicia a sua actividade como telegrafista, utiliza-o para ajudar as pessoas.
Também com bastante relevo no livro, temos uma visão aprofundada da sua história de amor com Lucha, uma jovem proveniente de famílias ricas que era vizinha do seu amigo de infância. Após o casamento, a diferença social entre eles torna-se evidente e é causa de alguns desentendimentos, porque Lucha esteve sempre habituada aos luxos e como esposa de Júbilo, passou a depender financeiramente dele.
No tempo presente conhecemos a sua filha Lluvia que relata parte da história e tudo faz para que o seu pai esteja confortável. Triste por ver o pai miserável devido à perda dos sentidos, ela decide procurar um telégrafo que liga a um computador com um programa adequado a traduzir a informação, facilitando assim a comunicação com o pai. O homem fica extasiado pela possibilidade de poder expressar-se novamente e vivem-se momentos muito alegres mas em seguida, surgem memórias do passado e o ambiente muda completamente.
Alternando passado e presente para nos mostrar a história de uma vida, este livro evidência a natureza humana e o efeito que determinadas atitudes podem ter na vida daqueles que os rodeiam e como isso pode afectar a própria vida.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Hoje há Feira do Alfarrabista



BOOOOOOOOOOOOOOM DIAAAAA! :D

Minha gente, hoje é a última quinta-feira do mês e isso significa que vão haver livros à venda para todos os gostos no mercado dos Lavradores, na baixa do Funchal. Passem por lá e aproveitem as oportunidades.
O mês passado estava lá uma mesa a vender livros e os fundos revertiam todos para a AMI, então fiz a minha parte e contribui para a causa, adquirindo alguns exemplares...fiquei duplamente satisfeita :)
Na verdade, todas as quintas-feiras há feira, a 1.ª é de antiguidades, a 2.ª corresponde à gastronomia e a 3.ª está ligada ao artesanato.
Está também a decorrer até o dia 28, a Feira do Livro na Avenida Arriaga, na Placa Central. Passem por lá.

Boas leituras*