quinta-feira, 16 de novembro de 2017

[2017] TBR Jar Challenge 8

Boa noite meus caros,
o tópico do TBR que me calhou hoje foi...


* Ler um livro que nunca terminei

*Challenge accepted!*

Para ver o progresso dos desafios, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.


quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Requiem [Delirium 3], de Lauren Olivier - Opinião

Título original - Requiem
Saga: Delirium #3
Sinopse: Now an active member of the resistance, Lena has transformed. The nascent rebellion that was underway in Pandemonium has ignited into an all-out revolution in Requiem, and Lena is at the center of the fight. After rescuing Julian from a death sentence, Lena and her friends fled to the Wilds. But the Wilds are no longer a safe haven. Pockets of rebellion have opened throughout the country, and the government cannot deny the existence of Invalids. Regulators infiltrate the borderlands to stamp out the rebels.
As Lena navigates the increasingly dangerous terrain of the Wilds, her best friend, Hana, lives a safe, loveless life in Portland as the fiancée of the young mayor.Requiem is told from the perspectives of both Lena and her friend Hana. They live side by side in a world that divides them until, at last, their stories converge.


Opinião:
O desfecho da saga Delirium chega com Requiem. Acabei de ler Pandemonium e achei fantástico, na verdade foi o melhor dos três na minha opinião. Lancei-me imediatamente de cabeça neste terceiro volume, tão entusiasmada que estava. Pensei "ele está vivo e agora?" Quis logo descobrir. Não sei bem o que esperava mas teve lógica o que se passou (algumas coisas).
Com o aumento da população de inválidos a crescer à margem das cidades e com as manifestações de actividades dos rebeldes, os governos não puderam mais negar a sua existência. Então tomaram medidas para combater a ameaça e adentraram nos "Wilds". 
A ideia era reduzir os números e esmagar o movimento. Quebrar o espírito dos inválidos. Contudo o efeito foi o oposto.
Em Pandemonium tinhamos o antes e o agora, neste livro temos dois pontos de vista, o da Lena e o da Hana. Isto dá-nos perspectivas de ambos os lados praticamente em simultâneo, dos rebeldes e um pouco do governo, devido às ligações da Hana à alta sociedade.
Ao acompanharmos os dois pontos de vista, fica iminente o encontro das antigas melhores amigas. Muita coisa mudou, a Hana foi curada e agora estão em lados opostos. Descobrimos uma grande revelação do passado e isso agita os alicerces daquela amizade. Agradou-me ainda haver vestígios da antiga Hana e de ela querer ajudar a Grace.
Gostei tanto do volume 2 que dei por mim a torcer para a Lena ficar com o Julian mas o primeiro amor deixa sempre marca, não é? Porém as coisas não foram pretas ou brancas, houve ali um bocado de cinzento (apesar de claramente amar Alex, havia sentimentos por Julian), e nem houve um desfecho conclusivo no final da história, refiro-me tanto à parte romântica como à parte da revolução.
Tive algumas surpresas neste volume, umas agradáveis outras nem tanto, mas de uma forma geral gostei da história e dos reencontros, sobretudo com a mãe da Lena e com a Grace. Aconselho :)

domingo, 12 de novembro de 2017

Pandemonium [Delirium 2], de Lauren Olivier - Opinião

Título original - Pandemonium
Saga: Delirium #2
Sinopse: The second book in Lauren Oliver’s remarkable New York Times bestselling trilogy about forbidden love, revolution, and the power to choose.
In this electrifying follow-up to Delirium, Lena is on a dangerous course that takes her through the unregulated Wilds and into the heart of a growing resistance movement. This riveting, brilliant novel crackles with the fire of fierce defiance, romance, and the sparks of a revolution about to ignite.


Opinião:
Após uma temporada afastada da saga, só agora retomei a leitura na esperança de terminar o desafio trilogia de 2017.
A narrativa alterna entre o antes e o agora. Somos convidados a acompanhar a integração da Lena junto dos novos companheiros, longe da sociedade, a sua adaptação, e paralelamente, a sua vida como membro integrante da rebelião em Manhattan.
A Lena e o Alex foram juntos até à cerca mas ele foi atingido e ficou para trás a sangrar, ao passo que ela passou. Ele assim o quis. Passaram-se dias e a Lena quase morreu em território selvagem, porém foi resgatada e juntou-se aos seus salvadores.
Ela aprende a levar uma vida à margem da sociedade, e com o passar do tempo alia-se aos rebeldes.
Em Brooklyn, ela tem uma nova identidade e integra um grupo que apela para que a intervenção da cura seja realizada antes da maioridade. A sua tarefa é observar Julian, o filho do líder do movimento.
Durante uma manifestação, os dois são raptados e mantidos em cativeiro. Na luta pela sobrevivência, eles aliam-se apesar de estarem em lados opostos, porém algo não bate certo...
[Pode conter spoilers]
Não sabia o que esperar deste volume mas com certeza surpreendeu pela positiva. Achei bem mais interessante do que o primeiro! Vemos a transformação da Lena, que passa de menina para mulher, apesar das circunstâncias não ser as melhores, ela passa de ingénua a guerreira, de sobrevivente a lutadora, e torna-se rebelde. Luta por uma causa.
Gostei de conhecer o Julian, o rapaz sofreu muito desde criança, merece apenas coisas boas e ser amado. Mas ele teme o delírio, até conhecer a Lena. Não a Lena de Manhattan, a do antes.
Quando estão em cativeiro, os jovens abrem-se um com o outro, falam de coisas que não deviam, deixam cair a máscara. Foi disso que mais gostei, de mostrarem a sua verdadeira natureza, de se exporem, permitiu-nos conhecê-los melhor e fez com que se aproximassem. O que me leva a outro aspecto que adorei.
Agradou-me imenso que a autora trouxesse a esperança para estas páginas, no sentido que é possível amar novamente após uma perda inestimável de um amor.
Sendo que o amor é irradicado aquando do procedimento e que pouco se sabe dos que ousaram amar, o facto da autora fazer com que a Lena permitisse encontrar o amor novamente trouxe mais valor à história.
Que bom que tivemos uma pista acerca da mãe da protagonista, foi interessante,  bem como aquele final inesperado!! Atiçou a curiosidade para o volume final. Aconselho :)
Este livro também serviu para outro tópico do TBR jar challenge, ler literatura distópica.

sábado, 11 de novembro de 2017

[2017] TBR Jar Challenge 7

Ora viva, aqui fica mais um papel do TBR jar challenge!




* Ler um livro de uma série que já tenha iniciado

*Challenge accepted!*

Para ver o progresso dos desafios, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

9 de Novembro, de Colleen Hoover - Opinião

Título original - November 9
Sinopse: A história de um amor capaz de curar e renovar a vida. O dia 9 de novembro No último dia de Fallon em Los Angeles, a sua vida cruza-se com a de Ben e os dois apaixonam-se perdidamente. A química que os une é tão forte e incontrolável que, apesar de Fallon estar a caminho de Nova Iorque, os dois prometem encontrar-se novamente. Os reencontros Durante cinco anos, sempre no dia 9 de novembro, Fallon e Ben encontram-se para construírem a sua história de amor, entre as várias relações e atribulações das suas vidas separadas. Apesar de só estarem juntos uma vez por ano, os dois envolvem-se cada vez mais e partilham um amor pleno de entrega, paixão e intensidade, capaz de os transformar e de sarar cicatrizes profundas. Cinco anos depois Fallon descobre que Ben carregou um enorme segredo durante cinco anos. O choque e a desilusão tomam conta do coração da jovem, devastada com a possibilidade de tudo ter sido uma farsa. Estarão os dois preparados para aceitar que as histórias de amor nem sempre têm um final feliz? Ou será Fallon capaz de perdoar o homem que ama? O passado, o presente e o futuro cruzam-se num livro arrebatador e envolvente.


Opinião:
Mais uma obra de Colleen Hoover, mais uma história de amor com muito drama, disso eu tinha certeza. Só não tinha certeza se ia gostar do livro mas gostei.
Fallon sofreu queimaduras num incêndio há dois anos devido à negligência do seu pai. Com o seu aspecto alterado para sempre, a sua confiança é abalada mas nem por isso ela desiste de ir para Nova Iorque tentar a sua sorte na Broadway. 
No dia da viagem ela conhece Ben e dá-se uma ligação imediata entre ambos. A química entre eles é quase palpável e prometem encontrar-se durante cinco anos apenas a cada 9 de Novembro. 
A sua relação floresce porém um segredo obscuro ameaça toldar o que parecia tão puro e real. Será o amor capaz de vencer todas as barreiras e perdoar o impensável?
Comecei a ler e impressionou-me a descrição do incidente do fogo e das consequências. Ela era uma actriz promissora e as circunstâncias em que se encontrava, ditaram o fim do seu contrato. Todos sabem que o "showbiz" é muito supérfluo e a aparência tem grande pesar na indústria cinematográfica.
Quanto ao desenrolar e desenvolvimento da relação dos pombinhos, é giro de se acompanhar e sei que o romance é acerca deles e dos seus reencontros anuais, contudo fiquei com vontade de saber mais acerca das suas vidas durante os intervalos de um ano. Foi tudo apenas tocado ao de leve (quanto muito) e deixou alguma curiosidade na minha opinião. 
Gostei de que este livro tivesse os dois pontos de vista dos protagonistas, deu mais riqueza à obra, foi bom saber o que se passava na cabeça de ambos durante os acontecimentos. 
Achei igualmente positivo que a Fallon soubesse de tudo o que de verdade aconteceu na vida do Ben e o que desencadeou os eventos decorridos, não através do diálogo mas através da leitura do manuscrito. De alguma forma, achei mais "sentido".
A autora deixa-nos com outro exemplo de como o perdão ajuda a sarar. Não só perdoar os outros mas também ser capaz de se permitir perdoar a si próprio. Recomendo.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

[2017] TBR Jar Challenge 6

Boa noite queridos, aqui fica mais um papel do TBR challenge!


* Ler um livro de literatura distópica

*Challenge accepted!*

Para ver o progresso dos desafios, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Harry Potter e os talismãs da morte [Harry Potter 7], de J. K. Rowling - Opinião

Título original - Harry Potter and the deathly hallows
- Autora inglesa
Saga: Harry Potter #7
Editora: Editorial Presença
Sinopse: É neste sétimo volume que Harry Potter irá travar a mais negra e perigosa batalha da sua vida. Dumbledore reservou-lhe uma missão quase impossível - encontrar e destruir os Horcruxes de Voldemort... Nunca, em toda a sua longa série de aventuras, o jovem feiticeiro mais famoso do mundo se sentiu tão só e perante um futuro tão sombrio. Chegou o momento do confronto final - Harry Potter e Lord Voldemort... nenhum pode viver enquanto o outro sobreviver... um dos dois está prestes a acabar para sempre... Os seus destinos estão misteriosamente entrelaçados, mas apenas um sobreviverá... 
Numa atmosfera apoteótica e vibrante, Rowling desvenda-nos, por fim, os segredos mais bem guardados do universo fantástico de Harry Potter e deixa-nos envoltos, talvez para sempre, na sua poderosa magia. Este sétimo volume tem sido considerado pelo público e pela crítica como o melhor de toda a série de Harry Potter.

Opinião:

O volume mais "negro" de sempre e o que encerra para sempre a profecia.
O derradeiro volume de uma das sagas mais lidas de sempre. O final da história que acompanhou o crescimento de muitos de nós e encantou leitores um pouco por todo o Mundo :)
Tanto anos se passaram para chegar ao culminar da história. Eu confesso que não esperei pela tradução em português, este foi orgulhosamente o primeiro livro que li em inglês. 
É verdade que não entendi tudo, lembro-me perfeitamente da primeira ver que apareceu horcrux eu não compreendi (risos). Demorei um bocado mais a ler do que se estivesse traduzido mas é compreensível e valeu a pena.
Foram imensos os factos surpreendentes tanto em aspectos positivos como negativos. As mortes foram o que mais "custou digerir" mas a guerra era iminente e há sempre baixas. 
Creio que o mais chocante foi descobrir o verdadeiro Snape, a motivação da sua lealdade e o seu amor intemporal. Uma cena que para mim ainda hoje acho espectacular é entre ele e Dumbledore:
- After all this time?
- Always. 

<3 <3

Os fãs praticamente acabam por passar pelos cinco estágios do luto (estou a ser dramática) ao ler o livro, ao chegar à conclusão da saga. 
Felizmente para nós a escritora lançou Harry Potter and the cursed child este ano, o que foi uma alegria e motivo para festejar! Mas os verdadeiros sortudos são os que têm acesso à obra e...conseguiram assistir à peça de teatro com o mesmo título (quem me dera)!!!
Foi muito bom ter voltado a ler a obra, praticamente emocionei-me nos mesmos momentos e gostei tanto de ler como da primeira vez :) Aconselho.


Outras capas:

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

O caso de Charles Dexter Ward, de H.P. Lovecraft - Opinião

Título original - The case of Charles Dexter Ward
Editora: Ad infinitum
Sinopse: Suspenda a descrença e aventure-se na mais assombrosa das viagens que o horror lhe pode proporcionar. H. P. Lovecraft convida-o a entrar no estranho mundo de Charles Dexter Ward, jovem apreciador de antiguidades que acaba de fugir de um hospital privado para doentes mentais, depois de desenvolver uma perturbante e perigosa demência, nunca vista na história da medicina.
Perceber as razões da sua fuga é imergir numa epopeia que ganha uma densidade tremenda, à medida que reconstruímos a personagem e mergulhamos num passado proibido, cheio de lendas inquietantes e horrores inomináveis.
Que segredos se escondem atrás de tão sombria e desconcertante loucura?
Uma obra obrigatória para quem gosta de suspense. Um acervo de arrepios pronto a tirar o sono daquele que se atrever a abrir esta obra.


Opinião:
Esta foi uma das minhas leituras de Halloween deste ano e na verdade a única que estava verdadeiramente ligada ao "horror".
Logo no início da obra, um homem foge de uma casa de saúde mental, o que é especialmente perturbante pois ele desenvolveu uma demência perigosa.

O livro conta-nos a história acerca de um antepassado e do que levou Charles às suas atitudes e ao que posteriormente se sucedeu ao se deparar com descobertas há muito esquecidas. O que era um interesse por antiguidade, mudou para ocultismo e efectivamente deu origem a uma obsessão por algo negro.
Achei o livro muito descritivo, se bem que tanto detalhe deu mais interesse à obra nalgumas passagens. Por outro lado, parecia tratar-se de um relato de acontecimentos, em determinadas situações, então até é compreensível.
Toda a parte que remete ao antepassado serve para nos situar nalguns rituais e nos dar perspectiva, mostrando-nos a origem do interesse/obsessão do Charles, o que achei macabro.
Andei meia perdida por algum tempo, até agora que terminei a leitura não compreendi certas coisas, contudo não creio que fossem elementos chave (podera ter sido porque não li em português).
Achei engraçado o facto de Charles ser sósia do seu antepassado (doppelganger como no The vampire diaries) e gostei bastante da perspicácia do Dr. Willett, que conseguiu resolver o enigma relacionado ao Charles e aniquilar a força do mal que pairava em Providence.

domingo, 29 de outubro de 2017

The wolves in the wall, de Neil Gaiman - Opinião

Título original - The wolves in the wall
Sinopse: Lucy hears sneaking, creeping,
crumpling noises
coming from inside
the walls.
She is sure there are
wolves living in
the walls
of her house.
But, as everybody says, if the wolves come out of the walls, it's all over.


Opinião:
Neil Gaiman é um autor muito aclamado, este é o terceiro trabalho que leio dele. Quis ler este pois apareceu-me como sugestão para Halloween num website. Se bem que algumas obras do Neil são mais viradas para um público mais jovem, algumas são muito apreciadas por adultos. Eu por exemplo, gostei muito da The sleeper and the spindle :)
A Lucy ouvia barulhos que provinham das paredes da sua casa, disse que eram lobos mas cada elemento da sua família tinha uma teoria diferente do que poderia ser. Ninguem deu muita atenção até que os barulhos ficaram mais altos. Porém veio a noite e houve silêncio total, a Lucy não gostou nem um pouco. Todos diziam que se os lobos saiem das paredes, é o fim.
Uma história com ilustrações e algumas onomatopeias, sempre eficazes em captar a atenção dos mais pequenotes. É um livro curto e de fácil compreensão, que garante entretenimento para as crianças.

The little old lady who was not afraid of anything, de Linda Williams - Opinião

Título original - The little old lady who was not afraid of anything
Sinopse: Once upon a time, there was a little old lady who was not afraid of anything! But one autumn night, while walking in the woods, the little old lady heard...clomp, clomp, shake, shake, clap, clap.
And the little old lady who was not afraid of anything had the scare of her life! With bouncy refrains and classic art, this timeless Halloween story is perfect for reading aloud.


Opinião:
A história é acerca de uma senhora idosa, que não tem medo de nada mas chega a tomar um susto ao ser seguida por peças de vestuário ambulantes e que emitem sons!
A gota de água é uma abóbora esculpida que fala para ela. Como é destemida, a senhora enfrenta-os e pergunta o que querem.
Este é um livro infantil com uma história curta e com onomatopoeias, seguido de ilustrações, o que o torna apelativo para os mais novos. Ideal para esta altura do ano (Halloween).

sábado, 28 de outubro de 2017

Fala-me de um dia perfeito, de Jennifer Niven - Opinião

Título original - All the bright places
Editora: Nuvem de tinta
Sinopse: Violet Markey vive para o futuro e conta os dias que faltam para acabar a escola e poder fugir da cidade onde mora e da dor que a consome pela morte da irmã. Theodore Finch é o rapaz estranho da escola, obcecado com a própria morte, em sofrimento com uma depressão profunda. Uma lição de vida comovente sobre uma rapariga que aprende a viver graças a um rapaz que quer morrer. Uma história de amor redentora. 

Opinião:
Este livro li-o na categoria "ler um livro sugerido pelo Goodreads", para o meu TBR jar challenge. Esta frase foi interpretada com uma duplicidade subjacente, pois embora me tenha aparecido nas sugestões/recomendações do GR, foi também o eleito de um dos grupos que integro, de leituras conjuntas do website (não fui a tempo da votação mas deu impulso para ser este o escolhido entre as opções).
Confesso que pouco sabia acerca da obra, basicamente reconheci a capa da altura das votações para eleger os vencedores das categorias de 2015, recordo-me de ler a sinopse a certa altura mas passou-me da ideia.
Apesar de ser o terceiro livro que me passa pelas mãos este ano cujo tema envolve suicídio, jamais me passou pela cabeça. Comecei "13 reasons why", devido à série produzida pela netflix (fiquei curiosa mas dei uma pausa na leitura), li "I was here" mais uma vez devido à leitura conjunta e este referi anteriormente. Mera coincidência.
Adorei como o Theo e a Violet se relacionaram e era sempre bom ler os seus diálogos, mostravam esperança e entendimento mútuo, algo que me parecia maduro para a faixa etária. Agradaram-me as descobertas que faziam pela cidade à conta do projecto da escola, e do modo que deixavam sempre algo para trás nesses locais.
Foi particularmente agradável acompanhar como ele ajudou-a a recuperar as rédeas da sua vida.
Quando peguei nesta obra julguei que ia ser uma coisa muito deprimente, misturada com muito drama adolescente mas enganei-me. Gostei deste livro mais do que queria admitir.
Este é um daqueles temas delicados que gera sempre muita controvérsia, e diversas opiniões contrastantes. Creio que somos todos diferentes e somos mais de 7 biliões, ninguém tem que estar sozinho. Existem vários tipos de ajuda. Busquem ajuda.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Desafio Fantasia 2017

É do conhecimento publico que adoro ler fantasia, então este é um dos desafios que faço mais facilmente. O ano passado comecei-o a finais de Novembro, este ano calhou mais cedo. 
O desafio consiste em ler pelo menos um livro de fantasia até o final de Dezembro, e qualquer um pode participar. Os livros podem ser integrantes de outros desafios literários e inclusive podem pertencer a outro género (exemplo fantasia + retelling ou fantasia + distopia).

As minha escolhas:
- The little old lady who was not afraid of anything
- Harry Potter e os talismãs da morte (releitura)
- Iluminada
-



Ao clicar nos desafios são reencaminhados para os respectivos links.
À semelhança dos outros desafios, à medida que vou lendo vou actualizar com o link directo para os títulos, para que possam ver a opinião.
Sempre que quiserem ver os desafios e o seu progresso, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue.
Boas leituras :)

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

[2017] TBR Jar Challenge 5

Olá, após uma imensidão de tempo longe dos desafios, eis que retomei onde parei. Desta vez....


* Ler um livro sugerido pelo Goodreads

*Challenge accepted!*

Para ver o progresso dos desafios, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Desafio Halloween 2017

Olá leitores,

Pelo terceiro ano consecutivo venho propor o desafio temático acerca do Halloween, ou o dia das bruxas, alusivo aos disfarces mais comuns!
Mais uma vez, o objectivo é a leitura de livros à vossa escolha, desde que a temática aborde temas ou personagens relacionados com bruxos, feiticeiros, zombies, vampiros, múmias, fantasmas, lobisomens, fadas, trolls, elfos, entre outros do género, e decorrerá ao longo do mês de Outubro, terminando dia 31.
Porém este ano comecei tarde então talvez não consiga ler muita coisa.

Para o meu desafio, farão parte as seguintes leituras:
- The little old lady who was not afraid of anything (objectos assombrados)
- O caso de Charles Dexter Ward (demónios, bruxos)
- Harry Potter e os talismãs da morte (feiticeiros)


À semelhança dos outros desafios, à medida que vou lendo vou actualizar com o link directo para os respectivos títulos, para que possam ver a opinião. 
Sempre que quiserem ver os desafios e o seu progresso, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue.

Boas leituras :)

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Eu estive aqui, de Gayle Forman - Opinião

Título original - I was here
Editora: Editorial Presença
Sinopse: Cody fica chocada e arrasada com o suicídio de Meg, a sua melhor amiga. A pedido dos pais desta, Cody viaja até Tacoma, onde a amiga estudava, para reunir os seus pertences. Espantada, Cody descobre que Meg nunca lhe falara de inúmeros aspetos da sua vida. Por exemplo, os novos amigos, que são o tipo de pessoas com quem Meg nunca se daria antes de entrar para a faculdade, ou Ben, o vocalista de uma banda por quem a jovem se apaixonara. Porém, a sua maior descoberta ocorre quando acede ao computador de Meg e de repente tudo o que pensava que sabia sobre a morte da amiga se desmorona. Cody decide então levar esta descoberta às últimas consequências.

Opinião:
Este livro demarcou a minha segunda experiência com a autora e curiosamente ambos os títulos abordam morte como temática. Obviamente não é um tema leve mas a verdade é que todos para lá caminhamos. 
Neste caso, Meg opta por colocar termo à sua vida e a decisão é uma surpresa chocante para os que a rodeavam. Há muita dor, luto, o sentimento de inutilidade e impotência, muitas questões surgem como: o que me escapou, o que a levou a isso, o que poderia ter sido feito para ajudá-la?
Os pais da falecida jovem pedem a Cody que junte e traga os pertences da amiga, da cidade onde se encontrava a estudar. Fica evidente que haviam imensos segredos entre as jovens que um dia já tinham sido unha e carne. 
Do contacto com os novos amigos de Meg, Cody percebe que havia alguns factores desconhecidos na vida dela, nomeadamente amizades inesperadas, uma nova paixão e um comportamento incomum.
No regresso a casa, os pais da Meg oferecem o portátil a Cody e é através deste que ela descobre algumas circunstâncias que a levaram "ao precipício". Com o auxílio de um entendido em informática, trabalham para desvendar o mistério envolvendo a morte.
Isto está longe de ser o tipo de leitura que aprecio, demasiado triste, deprimente até,  e apesar de ser ficção, a pessoa fica com pena. É um livro intenso e realmente dá que pensar.
Nunca tinha ouvido falar acerca dos grupos que apoiam e encorajam o suicídio (wtf?), um autêntico perigo! As pessoas que possivelmente estão a ponderar isso, deviam buscar outro tipo de apoio, apoio que fosse benéfico para a sua saúde mental e bem estar. E falem com alguém, compartilhem a vossa dor e a vossa perspectiva. Vocês não estão sozinhos!
Um livro emocionante, que nos mostrou que ninguém sabe o que se passa na cabeça e na vida dos outros.

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Winter [Crónicas lunares 4], de Marissa Meyer - Opinião

Título original - Winter
Saga: Crónicas lunares #4 / The lunar chronicles #4
Sinopse: Princess Winter is admired by the Lunar people for her grace and kindness, and despite the scars that mark her face, her beauty is said to be even more breathtaking than that of her stepmother, Queen Levana.
Winter despises her stepmother, and knows Levana won't approve of her feelings for her childhood friend-the handsome palace guard, Jacin. But Winter isn't as weak as Levana believes her to be and she's been undermining her stepmother's wishes for years. Together with the cyborg mechanic, Cinder, and her allies, Winter might even have the power to launch a revolution and win a war that's been raging for far too long.
Can Cinder, Scarlet, Cress, and Winter defeat Levana and find their happily ever afters? Fans will not want to miss this thrilling conclusion to Marissa Meyer's national bestselling Lunar Chronicles series.


Opinião:

A inspiração para esta história de Winter foi a branca de neve, mas passou-se muito mais do que apenas uma madrasta com inveja da beleza da enteada. 
Decisões foram efectuadas e trajectos foram traçados, havia um trono por tomar e um legado de nascença que aguardava Cinder (aka Selene). Tirar Levana do trono não só salvaria o povo de Luna, como salvaria os habitantes da Terra e estabeleceria o equilíbrio entre o planeta e a lua. Devo ainda realçar que salvaria também a vida do nosso corajoso imperador Kai.
Queridos leitores, como sabem eu adorei completamente Cress!!!! E confesso que tinha altas expectativas para Winter...que ficaram um pouco aquém.
A princesa Winter é realmente adorável, tem altos valores morais e um coração de ouro, e apesar do facto da sua vertente romântica ser um amor impossível (um ingrediente sempre apetecível), o romance não me cativou! 
Sim, ele tudo faria por ela e sempre a colocou à frente de tudo e todos, salvou-lhe a vida inclusive, mas depois das fantásticas histórias anteriores, a verdade é que esta não foi nada de mais. Penso que muitos de vós concordam comigo e sabem exactamente ao que me refiro!
O momento mais curioso: saber se o procedimento experimental resultou na Winter e se lhe permitiu uma vida inteiramente "normal".
O momento mais surpreendente: descobrir a verdadeira Levana por baixo do véu, saber pelo que ela passou e ainda assim, ser capaz de infligir o mesmo noutra pessoa.
O pior momento: a inevitável guerra na Lua (incontáveis mortes e uma luta desigual e desequilíbrada).
O momento mais antecipado e o que mais gostei (chamem-me de romântica) foi quando o Thorne finalmente declarou o seu amor por Cress! <3 <3 ;D
O desfecho, de um modo geral agradou-me, deixa-nos com a perspectiva de um futuro melhor, que será mais justo, no qual haverá mais igualdade e consideração pelos seres vivos.
Gostei imenso da saga, recomendo :)

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Cinderella: The Terrible Truth, de Laura North - Opinião

Título original - Cinderella: The Terrible Truth
Sinopse: Everyone knows the famous story about Cinderella but that's because it is a huge cover up! Find out what really happened at midnight on the night of the Royal Ball...


Opinião:
Achei piada a capa e o título e quis ler esta obra. Que verdade horrível seria aquela?
O enredo básico é quase o mesmo, a Cinderela quer ir ao baile e tem duas meias irmãs malvadas, ela vai realmente ao baile e o príncipe apaixona-se por ela.
Mas aqui as irmãs dão-lhe uma poção mágica para ficar mais bonita...só que não! Que reviravolta leva a história, ainda com um toque de fantasia mas completamente inesperado! Uma história com ilustrações engraçadas que vale a pena, os mais jovens vão gostar.

sexta-feira, 30 de junho de 2017

[2017] Balanço leituras 1.º semestre

Olá seus lindos,
trago-vos o balanço das minhas leituras referentes ao primeiro semestre do ano. Para quem é novo por estes lados: a cada seis meses tenho vindo a fazer uma publicação (vá lá, um post :p ) com o intuito de expor o que me foi passando pelas mãos. Aqui é incluído tudo, quer seja em formato físico ou digital, ou se trate de livros ou contos.
Por norma, coloco cada mês e as imagens das capas do que andei a ler. A imagem, por sua vez, contém uma hiperligação que direcciona o leitor à respectiva opinião publicada.
A ideia é simples e fica bem gira, mas aqui entre nós, é um bocado trabalhoso, contudo o resultado final agrada! Vejam por si mesmos!


Janeiro


            


Fevereiro


            


Março


     

Abril
















Maio














Junho

domingo, 11 de junho de 2017

Um mundo sem príncipes [The school for good and evil 2, de Soman Chainani

Título original - The school for good and evil
Saga: The school for good and evil #2
Editor: Lápis azul
Sinopse: Sofia e Agatha estão de volta a Gavaldon, mais amigas que nunca e, após um breve período de fama, resultante de terem quebrado a maldição do Reitor, prontas a retomar uma vida de normalidade. Ou será que não? Num momento de fraqueza, Sofia e Agatha pedem um desejo. E o desejo de uma delas volta a abrir as portas entre os mundos. A única hipótese de sobreviverem aos ataques que agora assolam Gavaldon é regressar, mais uma vez, à Escola do Bem e do Mal. Mas a escola já não é a mesma que deixaram para trás. E há uma nova guerra iminente, uma que só elas podem impedir. 


Opinião:
Passada uma temporada afastada da saga, resolvi retomá-la e continuar a leitura. Um mundo sem príncipes levou-me de volta ao fantástico universo criado por Soman Chainani, onde as coisas nem sempre são o que parecem.
Ao quebrarem a maldição do reitor, Agatha e Sofia regressam a salvo a casa mas algo mudou, há um anseio por algo mais. Quando pedem um desejo, as portas entre os mundos são novamente abertas e novos perigos espreitam. As amigas vêem-se forçadas a regressar à Escola do Bem e do Mal, mas deparam-se com um cenário inesperado no qual não há príncipes. 
Os rapazes foram banidos para outra escola, bem como o corpo docente masculino, agora não é Bem e Mal, algo do género raparigas vs rapazes, há uma nova directora Sader, que parece saber sempre de tudo e há um "prémio pelas cabeças" das protagonistas! Mas o que raio se passou?
[Pode conter spoilers]
Inspiradas pela atitude da Agatha e Sofia no desfecho do volume de estreia, princesas e raparigas por todo o lado estão a "dar um par de patins" aos seus príncipes e rapazes no geral, sendo que isso leva a completas alterações no curso das histórias que todos cresceram a ouvir. 
Princesas passam a descuidar da sua aparência e modos, contudo parecem mais desinibidas, independentes e corajosas. Quem não achou piada nenhuma, foram os príncipes que sentem-se excluidos e impotentes, atribuido culpas às meninas e querendo fazer justiça pelas próprias mãos!
Aquela directora é muito estranha, deita "lenha na fogueira" com mais frequência do que seria de esperar de uma figura proeminente de autoridade da escola, ainda para mais na iminência de uma guerra sem precedentes.
Se a história já foi surpreendente no primeiro volume, aqui conseguiu manter o ritmo, beneficiando bastante das situações hilariantes ao longo do livro. Achei que houve um desenrolar apropriado da acção, sem que houvesse, como é frequente nalgumas sagas, "palha".
Gostei bastante deste título, aquelas raparigas conseguem sempre me surpreender! E aquele desfecho? Totalmente imprevisível!!! As coisas que as pessoas fazem por achar que merecem só um tipo de amor (não vou fazer revelações mas quem já leu deve ter ficado como eu :-o )
Aconselho veemente!

quarta-feira, 10 de maio de 2017

The lying game [The lying game 1], de Sara Shepard - Opinião

Título original - The lying game
Saga: The lying game #1
Sinopse: I had a life anyone would kill for.
Then someone did.
The worst part of being dead is that there's nothing left to live for. No more kisses. No more secrets. No more gossip. It's enough to kill a girl all over again. But I'm about to get something no one else does--an encore performance, thanks to Emma, the long-lost twin sister I never even got to meet.
Now Emma's desperate to know what happened to me. And the only way to figure it out is to be me--to slip into my old life and piece it all together. But can she laugh at inside jokes with my best friends? Convince my boyfriend she's the girl he fell in love with? Pretend to be a happy, care-free daughter when she hugs my parents goodnight? And can she keep up the charade, even after she realizes my murderer is watching her every move?
From Sara Shepard, the #1 New York Times bestselling author of the Pretty Little Liars books, comes a riveting new series about secrets, lies, and killer consequences.
Let the lying game begin.


Opinião:
Sou fã da série televisiva Pretty little liars há anos e logo que descobri que ia começar outra série baseada em livros da mesma autora fiquei contente. Apesar de não ter lido nenhum dos livros, a série cativou-me desde o começo com todo o suspense e mistério que lhe são característicos. 
Eis que começa The lying game e fiquei um pouco empolgada ao ver que seguia a mesma permissiva de mistério. Quando a série foi cancelada na segunda temporada, resolvi que, em algum momento, ia ler esta saga.
Imaginem o meu espanto quando inicio a leitura e de caras, descubro que a Sutton está morta! Na série, continua a ser um "jogo de mentiras" mas ambas irmãs estão vivas e bem de saúde!
No livro, um grupo de amigas tem por hábito pregar partidas e elaborar piadas de mau gosto que muitas vezes ultrapassam o aceitável. Terá alguma das vitimas/alvos atingido a sua cota de humilhação, e terá tomado a derradeira atitude? Ou terá sido alguém completamente inesperado que quis acabar com o reinado de Sutton? 
Emma, a nossa protagonista, descobre que tem uma irmã gémea rica, que a convence a ir visitá-la, porém esta não a encontra. Para seu completo horror, a Emma descobre que a sua irmã foi assassinada e visto serem idênticas, terá que fazer-se passar por Sutton. Desta forma ela espera conseguir desvendar o mistério envolvendo a morte da irmã e apanhar o assassino. Mas este é um jogo perigoso, pois o assassino está a vigiar todos os seus passos...conseguirá ela jogar este jogo da mentira?
Como todas as boas sagas, não se descobre nada relevante acerca do assassino no primeiro volume, o que, passo a expressão, "dá mais pica" para prosseguir com a leitura! Algumas personagens são diferentes do que a série transmitiu, algumas coisas são constantes, o ténis, as amizades, a proximidade do Ethan e da Emma :)
Enfim é uma saga que pretendo continuar e aconselho :)

quarta-feira, 26 de abril de 2017

The cat that walked by himself, de Shoo Rayner - Opinião

Título original - The cat that walked by himself
Editora: Orchard
Sinopse: The Cat is the wildest animal in the Wild Wet Woods. But when he sees Man and Woman living in a warm dry cave, he starts thinking about how he can join them.

Opinião:
Esta história é passada nos tempos da "pré-história", muito rudimentares, no qual está a dar-se os primeiros passos na domesticação dos animais.
Um casal vive numa gruta e aceita animais com eles em troca de algo que lhes possam providenciar. 
Até que aparece o gato que caminha sózinho e fica intrigado pelas posses e capacidades dos homens, porém a mulher não o quer lá e tem de arranjar maneira de agradá-la.
Uma pequena história com ilustrações sobre um gato que anda sozinho, e a quem todos os locais são idênticos até se deparar com os humanos. 
Ele deseja poder abrigar-se na gruta, poder estar perto da fogueira e beber leitinho. Enfim faz um tipo de acordo com a mulher.
Uma história sobre como não temos que ser sempre solitários, de vez em quando todos precisamos de alguém.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

My dad's a balloon, de Malachy Doyle e Peter Utton - Opinião

Título original - My dad's a balloon
Editora: Franklin Watts
Sinopse: In this fun, fantasy story, a little girl blows her dad's finger and he becomes a huge
floaty balloon bumping round the sitting room and whizzing round the garden. Will he ever come down to earth?

Opinião:

Apanhei este livro randomly de uma bibliteca na secção infantil e li-o.
Basicamente uma criança tem um pai que, ao soprar o dedo vai enchendo como se fosse um balão de hélio, uma vez que ele ergue-se do solo.
É uma história curta, de rápida leitura, com ilustrações, tornando-a ideal para os mais pequenos ou para crianças que estão a iniciar a aprendizagem da leitura.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Rumpled stilton skin, de Daniel Postgate - Opinião

Título original - Rumpled stilton skin
Editora: Franklin Watts

Sinopse: In this classic fairy tale, retold with a twist, a funny little man with an unusual name appears when the poor cheesemaker's daughter needs his help. He makes her beautiful for a ball, but what will he ask for in return?

Opinião:
Não me estou a recordar muito da obra que influenciou esta pequena história sobre a qual vou escrever hoje. Ou não li nem vi a animação, ou foi há muito, muito tempo. Apenas o que penso saber está relacionado com a série Once upon a time :p
A protagonista trabalha numa loja de queijos e consome muitos deles, alguns dos quais, mal cheirosos. Ao receber um convite para ir ao baile real logo se conforma que com aquele odor desagradável não vai conseguir ir. É aí que lhe aparece um homem com uma proposta aliciante, em troca da sua ajuda ela dá-lhe um presente.
Isto de meter-se em acordos sem saber os termos é uma coisa que tem muito que se diga! Mas também é uma história e se não fosse assim não tinha enredo. Um pequeno alerta.
Esta é uma curta história, com ilustrações e proporciona um entretenimento para a criançada. 
Foi igualmente o livro que permitiu concluir o tópico do TBR Jar challenge, ler um livro infantil.

terça-feira, 18 de abril de 2017

[2017] TBR Jar Challenge 4

Aqui está o seleccionado para o quarto tópico do TBR jar challenge


* Ler um livro infantil (ou infanto-juvenil)

*Challenge accepted!*

Para ver o progresso dos desafios, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Ready player one, de Ernest Cline - Opinião

Título original - Ready player one
Sinopse: 
In the year 2044, reality is an ugly place. The only time teenage Wade Watts really feels alive is when he's jacked into the virtual utopia known as the OASIS. Wade's devoted his life to studying the puzzles hidden within this world's digital confines, puzzles that are based on their creator's obsession with the pop culture of decades past and that promise massive power and fortune to whoever can unlock them. When Wade stumbles upon the first clue, he finds himself beset by players willing to kill to take this ultimate prize. The race is on, and if Wade's going to survive, he'll have to win—and confront the real world he's always been so desperate to escape.


Opinião:

Já há algum tempo com o livro debaixo de olho e na minha (extensa) lista TBR, Jogador nº1 foi lido juntamente com o grupo em que participo em leituras conjuntas no GR. 
Após uma votação para eleger um stand alone, o livro saiu vencedor. O título teve também o propósito de completar um tópico do meu TBR Jar challenge: * Ler um livro de autor novo para mim.
Tendo lido Cress recentemente, entrei de imediato no mundo que Ernest criou, no qual um bilionário deixa a sua fortuna a quem descobrir o segredo embutido no jogo que desenvolveu. A humanidade fica doida perante tal perspectiva e lançam-se numa corrida para ver quem descobre primeiro.
Um rapaz oriundo de uma família com poucos recursos financeiros, Wade, é um dos que estudam os gostos do falecido, quando se dá conta de que descobriu a primeira pista para a obtenção da primeira chave.
No total são três chaves que abrem três portões e cada um contém uma determinada tarefa a realizar.
Passados cinco anos de tentativas, o sucesso de Wade aka Parzival desencadeia um frenesim e uma caça ao tesouro cujos perigos estão ao virar da esquina e são bem mais reais do que seria esperado de um jogo...
Diferente do que tem passado pelas minhas mãos, Jogador n.º 1 começou por ser algo que achei inovador e inesperado. Mas a verdade é que tanta referência aos gostos do falecido senhor, tornaram a narrativa maçadora em alguns segmentos.
Não me levem a mal, concordo com a opinião colectiva de que a década de 80 foi inigualável porém dei por mim a "ler na diagonal" por diversas vezes, quando era algum trecho mais descritivo (de algo que achava desinteressante).
Contrabalançando este aspecto, a astúcia, as demonstrações de inteligência, o decorrer da "acção" e as amizades improváveis formaram um componente importante, que fizeram toda a diferenca e elevaram a minha opinião acerca desta obra.
Como tanto a acontecer, quem é que não queria encontrar o ovo? Ainda para mais, vai ter adaptação cinematográfica e o Steven Spielberg é apontado como o responsável por trazer à vida este universo digital. Venham vocês e descubram se tiverem curiosidade.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Cress [Crónicas lunares 3], de Marissa Meyer - Opinião

Título original - Cress
Saga: Crónicas lunares #3 / The lunar chronicles #3
Editora: Editorial Planeta
Sinopse: Este não é o conto de fadas de que se lembra. Mas é o que não se vai esquecer.
Neste terceiro livro de Marissa Meyer, Cinder e o capitão Thorne estão escondidos com Scarlet e Wolf. Juntos, conspiram para derrubar a rainha Levana e impedir o seu exército de invadir a Terra.
A sua melhor esperança é Cress, uma jovem presa num satélite desde a infância e que apenas tem os netscreens como companhia. Todo este tempo passado a olhar para os ecrãs fez dela uma excelente hacker. Mas infelizmente, é obrigada a trabalhar para a rainha Levana, e recebeu ordens para localizar Cinder e o seu bonito cúmplice. Quando o ousado resgate de Cress corre mal, o grupo desmembra-se. Cress obtém por fim a liberdade, mas com um preço mais elevado do que jamais pensou. Entretanto, a rainha Levana não vai deixar nada impedir o seu casamento com o imperador Kai. Cress, Scarlet, e Cinder podem não ter sido designadas para salvar o mundo, mas são a única esperança do mundo.

Opinião:

Meus caros amigos, o terceiro volume da saga Crónicas lunares chega-nos com uma donzela em apuros presa num satélite, Cress.
A jovem hacker da coroa lunar é uma prisioneira em orbita e decidiu aliar-se a Cinder na sua missão de salvar o mundo. Se pelo caminho conquistar o divertido Thorne então é que todos os sonhos se realizam!
Porém a missão de resgate não corre como planeado, o grupo acaba por separar-se, e alguns saiem lesionados. O plano ainda é encontrar-se com o doutor em África então é para lá que a Cinder vai.
Paralelamente, acompanhamos o que se vai passando com Cress e Thorne que estão agora noutra zona. Além de estarem no desconhecido, o rapaz apresenta sequelas do impacto, agravando ainda mais a situação.
Somos também convidados a seguir os preparativos para o casamento do Kai com a Levana, e tudo o que envolve os acontecimentos naquela parte do mundo.
O livro até começa bem mas depois basicamente está tudo uma grande confusão! Ninguém sabe de ninguém, o plano original foi por água abaixo e alguma coisa tem de ser feita para deter a rainha lunática! Gostaram do trocadilho? xD
Após um volume brilhante, "Scarlet", pensei que este talvez não fosse seguir os mesmos passos (o que muitas vezes acontece em sequelas) mas a autora provou que consegue manter o ritmo. 
Em "Cress" não houve tanto o impacto romântico do anterior, mas houve mais acontecimentos, mais acção e mais "ah mãe, o que vai acontecer agora?". Foram uma série de eventos que em última instância mudaram o curso da história e levaram à guerra, que como todos tínhamos vindo a acompanhar, sabiamos que era inevitável, mais tarde ou mais cedo. Os motivos porém não são exactamente os esperados, venham daí e descubram vocês mesmos.
A adorável Cress que teve uma vida difícil, de exclusão e isolamento, finalmente realiza dois dos seus sonhos (ir para a Terra e conhecer o capitão Thorne) contudo a vida ainda lhe reserva muitas adversidades. A jovem porém dá-nos uma lição sobre perseverança, nalguns casos com um estímulo amigo, mas ainda assim não deixa de ser a moça sonhadora, apaixonada, inocente e doce que conhecemos.
Aquele Thorne é incrível! Carismático, engraçado e convencido, mostrou-nos um outro lado da sua personalidade que até então estava escondido por baixo de uma fronte de total desprendimento e despreocupação.
A Cinder continua a sua luta agora que acolheu o seu verdadeiro legado e destino. Empenhada em impedir que o imperador Kai se case com Levana, ela acredita ser a única maneira de salvar a vida dele e assim salvar o planeta do domínio lunar. Vamos ver como é que as coisas lhe correm. Aconselho vivamente :)

quinta-feira, 16 de março de 2017

[2017] TBR Jar Challenge 3

Gente, venho anunciar outro desafio do meu TBR Challenge


* Ler um livro de um autor novo

*Challenge accepted!*

Para ver o progresso dos desafios, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

sábado, 11 de março de 2017

Seduction and snacks [Chocolate lovers 1], de Tara Sivec - Opinião

Título original - Seduction and snacks
Saga: Chocolate lovers #1
Sinopse: Claire is a twenty-something, single mom that grudgingly helps her best friend sell sex toys while she attempts to make enough money to start her own business to give her foul-mouthed, but extremely loveable (when he's asleep) toddler a better life. 
When Carter, the one-night-stand from her past that changed her life forever, shows up in her hometown bar without any recollection of her besides her unique chocolate scent, Claire will make it a point that he remembers her this time.
With Carter's undisguised shock at suddenly finding out he has a four-year-old son and Claire's panic that her stretch marks and slim to none bedroom experience will send the man of her dreams heading for the hills, the pair will do whatever they can to get their happily ever after.
Warning: contains explicit sex, profanity and enough sarcasm to choke a horse.


Opinião:
Nem sei bem como fui dar com este livro, penso que surgiu nas actualizações do GR de alguém. Li a sinopse e percebi que tinha que ler pois estava a precisar de boa disposição no meu dia-a-dia.
Uma universitária decide entregar a sua virgindade a um rapaz que conheceu numa festa da faculdade. O que seria apenas um momento de diversão tornou-se num pesadelo, com a descoberta da gravidez, e ela nem sabia o nome do pai.
A Claire acabou por abandonar os estudos, regressar à sua terra e trabalhar num bar, para poder criar o filho. Quatro anos se passaram e eles reencontram-se no bar, porém ele não se lembra do aspecto dela.
O par está destinado a se encontrar e ele fica interessado na Claire novamente, sem que ela lhe revele nada, até que o inevitável acontece e ele descobre que tem um filho. A aproximação acontece e ainda muitos mais eventos...
Comecei esta história nada convencional e não consegui deixar o livro. A maior parte do meu tempo livre era preenchido com a leitura desta obra. Numa primeira instância é-nos relatada a ocorrência que lhe mudou a vida, a marca que deixou nela, de que modo a afectou e somos depois trazidos até o presente, onde dá-se o "pontapé de saída" para o verdadeiro densenrolar da acção.
Se alguém saltar a sinopse e partir logo para o livro, fica perplexo com a grande aversão da protagonista a crianças e partos. O mais certo é "ficar em choque" com ela a afirmar ter sido mãe ainda antes de todas as suas amigas! 
Por falar em crianças, o Gavin é tão engraçado! Deve ser extremamente difícil lidar com uma criança com tal personalidade, contudo quem está de fora não consegue deixar de rir xD A escritora esteve muito bem com a criação deste personagem.
A protagonista foi também uma personagem que gostei bastante, aconteceu de tudo àquela mulher! Toda aquela série de peripécias e situações caricatas e altamente embaraçosas são demais! Ri mesmo muito, de verdade. Julgo que nunca me deparei com um livro tão engraçado. Aconselho vivamente mas atenção que é para maiores de 18, devido ao conteúdo de teor sexual.