quarta-feira, 10 de maio de 2017

The lying game [The lying game 1], de Sara Shepard - Opinião

Título original - The lying game
Saga: The lying game #1
Sinopse: I had a life anyone would kill for.
Then someone did.
The worst part of being dead is that there's nothing left to live for. No more kisses. No more secrets. No more gossip. It's enough to kill a girl all over again. But I'm about to get something no one else does--an encore performance, thanks to Emma, the long-lost twin sister I never even got to meet.
Now Emma's desperate to know what happened to me. And the only way to figure it out is to be me--to slip into my old life and piece it all together. But can she laugh at inside jokes with my best friends? Convince my boyfriend she's the girl he fell in love with? Pretend to be a happy, care-free daughter when she hugs my parents goodnight? And can she keep up the charade, even after she realizes my murderer is watching her every move?
From Sara Shepard, the #1 New York Times bestselling author of the Pretty Little Liars books, comes a riveting new series about secrets, lies, and killer consequences.
Let the lying game begin.


Opinião:
Sou fã da série televisiva Pretty little liars há anos e logo que descobri que ia começar outra série baseada em livros da mesma autora fiquei contente. Apesar de não ter lido nenhum dos livros, a série cativou-me desde o começo com todo o suspense e mistério que lhe são característicos. 
Eis que começa The lying game e fiquei um pouco empolgada ao ver que seguia a mesma permissiva de mistério. Quando a série foi cancelada na segunda temporada, resolvi que, em algum momento, ia ler esta saga.
Imaginem o meu espanto quando inicio a leitura e de caras, descubro que a Sutton está morta! Na série, continua a ser um "jogo de mentiras" mas ambas irmãs estão vivas e bem de saúde!
No livro, um grupo de amigas tem por hábito pregar partidas e elaborar piadas de mau gosto que muitas vezes ultrapassam o aceitável. Terá alguma das vitimas/alvos atingido a sua cota de humilhação, e terá tomado a derradeira atitude? Ou terá sido alguém completamente inesperado que quis acabar com o reinado de Sutton? 
Emma, a nossa protagonista, descobre que tem uma irmã gémea rica, que a convence a ir visitá-la, porém esta não a encontra. Para seu completo horror, a Emma descobre que a sua irmã foi assassinada e visto serem idênticas, terá que fazer-se passar por Sutton. Desta forma ela espera conseguir desvendar o mistério envolvendo a morte da irmã e apanhar o assassino. Mas este é um jogo perigoso, pois o assassino está a vigiar todos os seus passos...conseguirá ela jogar este jogo da mentira?
Como todas as boas sagas, não se descobre nada relevante acerca do assassino no primeiro volume, o que, passo a expressão, "dá mais pica" para prosseguir com a leitura! Algumas personagens são diferentes do que a série transmitiu, algumas coisas são constantes, o ténis, as amizades, a proximidade do Ethan e da Emma :)
Enfim é uma saga que pretendo continuar e aconselho :)

quarta-feira, 26 de abril de 2017

The cat that walked by himself, de Shoo Rayner - Opinião

Título original - The cat that walked by himself
Editora: Orchard
Sinopse: The Cat is the wildest animal in the Wild Wet Woods. But when he sees Man and Woman living in a warm dry cave, he starts thinking about how he can join them.

Opinião:
Esta história é passada nos tempos da "pré-história", muito rudimentares, no qual está a dar-se os primeiros passos na domesticação dos animais.
Um casal vive numa gruta e aceita animais com eles em troca de algo que lhes possam providenciar. 
Até que aparece o gato que caminha sózinho e fica intrigado pelas posses e capacidades dos homens, porém a mulher não o quer lá e tem de arranjar maneira de agradá-la.
Uma pequena história com ilustrações sobre um gato que anda sozinho, e a quem todos os locais são idênticos até se deparar com os humanos. 
Ele deseja poder abrigar-se na gruta, poder estar perto da fogueira e beber leitinho. Enfim faz um tipo de acordo com a mulher.
Uma história sobre como não temos que ser sempre solitários, de vez em quando todos precisamos de alguém.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

My dad's a balloon, de Malachy Doyle e Peter Utton - Opinião

Título original - My dad's a balloon
Editora: Franklin Watts
Sinopse: In this fun, fantasy story, a little girl blows her dad's finger and he becomes a huge
floaty balloon bumping round the sitting room and whizzing round the garden. Will he ever come down to earth?

Opinião:

Apanhei este livro randomly de uma bibliteca na secção infantil e li-o.
Basicamente uma criança tem um pai que, ao soprar o dedo vai enchendo como se fosse um balão de hélio, uma vez que ele ergue-se do solo.
É uma história curta, de rápida leitura, com ilustrações, tornando-a ideal para os mais pequenos ou para crianças que estão a iniciar a aprendizagem da leitura.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Rumpled stilton skin, de Daniel Postgate - Opinião

Título original - Rumpled stilton skin
Editora: Franklin Watts

Sinopse: In this classic fairy tale, retold with a twist, a funny little man with an unusual name appears when the poor cheesemaker's daughter needs his help. He makes her beautiful for a ball, but what will he ask for in return?

Opinião:
Não me estou a recordar muito da obra que influenciou esta pequena história sobre a qual vou escrever hoje. Ou não li nem vi a animação, ou foi há muito, muito tempo. Apenas o que penso saber está relacionado com a série Once upon a time :p
A protagonista trabalha numa loja de queijos e consome muitos deles, alguns dos quais, mal cheirosos. Ao receber um convite para ir ao baile real logo se conforma que com aquele odor desagradável não vai conseguir ir. É aí que lhe aparece um homem com uma proposta aliciante, em troca da sua ajuda ela dá-lhe um presente.
Isto de meter-se em acordos sem saber os termos é uma coisa que tem muito que se diga! Mas também é uma história e se não fosse assim não tinha enredo. Um pequeno alerta.
Esta é uma curta história, com ilustrações e proporciona um entretenimento para a criançada. 
Foi igualmente o livro que permitiu concluir o tópico do TBR Jar challenge, ler um livro infantil.

terça-feira, 18 de abril de 2017

[2017] TBR Jar Challenge 4

Aqui está o seleccionado para o quarto tópico do TBR jar challenge




* Ler um livro infantil (ou infanto-juvenil)

*Challenge accepted!*

Para ver o progresso dos desafios, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Jogador nº1, de Ernest Cline - Opinião

Título original - Ready player one
Editora: Leya
Sinopse: Cinco estranhos e uma coisa em comum: a caça ao tesouro. Achar as pistas nesta guerra definirá o destino da humanidade.
Em um futuro não muito distante, as pessoas abriram mão da vida real para viver em uma plataforma chamada Oasis. Neste mundo distópico, pistas são deixadas pelo criador do programa e quem achá-las herdará toda a sua fortuna.
Como a maior parte da humanidade, o jovem Wade Watts escapa de sua miséria em Oasis. Mas ter achado a primeira pista para o tesouro deixou sua vida bastante complicada. De repente, parece que o mundo inteiro acompanha seus passos, e outros competidores se juntam à caçada. Só ele sabe onde encontrar as outras pistas: filmes, séries e músicas de uma época que o mundo era um bom lugar para viver. Para Wade, o que resta é vencer – pois esta é a única chance de sobrevivência.
A vida, os perigos, e o amor agora estão mais reais do que nunca.


Opinião:
Já há algum tempo com o livro debaixo de olho e na minha (extensa) lista TBR, Jogador nº1 foi lido juntamente com o grupo em que participo em leituras conjuntas no GR. 
Após uma votação para eleger um stand alone, o livro saiu vencedor. O título teve também o propósito de completar um tópico do meu TBR Jar challenge: * Ler um livro de autor novo para mim.
Tendo lido Cress recentemente, entrei de imediato no mundo que Ernest criou, no qual um bilionário deixa a sua fortuna a quem descobrir o segredo embutido no jogo que desenvolveu. A humanidade fica doida perante tal perspectiva e lançam-se numa corrida para ver quem descobre primeiro.
Um rapaz oriundo de uma família com poucos recursos financeiros, Wade, é um dos que estudam os gostos do falecido, quando se dá conta de que descobriu a primeira pista para a obtenção da primeira chave.
No total são três chaves que abrem três portões e cada um contém uma determinada tarefa a realizar.
Passados cinco anos de tentativas, o sucesso de Wade aka Parzival desencadeia um frenesim e uma caça ao tesouro cujos perigos estão ao virar da esquina e são bem mais reais do que seria esperado de um jogo...
Diferente do que tem passado pelas minhas mãos, Jogador n.º 1 começou por ser algo que achei inovador e inesperado. Mas a verdade é que tanta referência aos gostos do falecido senhor, tornaram a narrativa maçadora em alguns segmentos.
Não me levem a mal, concordo com a opinião colectiva de que a década de 80 foi inigualável porém dei por mim a "ler na diagonal" por diversas vezes, quando era algum trecho mais descritivo (de algo que achava desinteressante).
Contrabalançando este aspecto, a astúcia, as demonstrações de inteligência, o decorrer da "acção" e as amizades improváveis formaram um componente importante, que fizeram toda a diferenca e elevaram a minha opinião acerca desta obra.
Como tanto a acontecer, quem é que não queria encontrar o ovo? Ainda para mais, vai ter adaptação cinematográfica e o Steven Spielberg é apontado como o responsável por trazer à vida este universo digital. Venham vocês e descubram se tiverem curiosidade.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Cress [Crónicas lunares 3], de Marissa Meyer - Opinião

Título original - Cress
Saga: Crónicas lunares #3 / The lunar chronicles #3
Editora: Editorial Planeta
Sinopse: Este não é o conto de fadas de que se lembra. Mas é o que não se vai esquecer.
Neste terceiro livro de Marissa Meyer, Cinder e o capitão Thorne estão escondidos com Scarlet e Wolf. Juntos, conspiram para derrubar a rainha Levana e impedir o seu exército de invadir a Terra.
A sua melhor esperança é Cress, uma jovem presa num satélite desde a infância e que apenas tem os netscreens como companhia. Todo este tempo passado a olhar para os ecrãs fez dela uma excelente hacker. Mas infelizmente, é obrigada a trabalhar para a rainha Levana, e recebeu ordens para localizar Cinder e o seu bonito cúmplice. Quando o ousado resgate de Cress corre mal, o grupo desmembra-se. Cress obtém por fim a liberdade, mas com um preço mais elevado do que jamais pensou. Entretanto, a rainha Levana não vai deixar nada impedir o seu casamento com o imperador Kai. Cress, Scarlet, e Cinder podem não ter sido designadas para salvar o mundo, mas são a única esperança do mundo.

Opinião:

Meus caros amigos, o terceiro volume da saga Crónicas lunares chega-nos com uma donzela em apuros presa num satélite, Cress.
A jovem hacker da coroa lunar é uma prisioneira em orbita e decidiu aliar-se a Cinder na sua missão de salvar o mundo. Se pelo caminho conquistar o divertido Thorne então é que todos os sonhos se realizam!
Porém a missão de resgate não corre como planeado, o grupo acaba por separar-se, e alguns saiem lesionados. O plano ainda é encontrar-se com o doutor em África então é para lá que a Cinder vai.
Paralelamente, acompanhamos o que se vai passando com Cress e Thorne que estão agora noutra zona. Além de estarem no desconhecido, o rapaz apresenta sequelas do impacto, agravando ainda mais a situação.
Somos também convidados a seguir os preparativos para o casamento do Kai com a Levana, e tudo o que envolve os acontecimentos naquela parte do mundo.
O livro até começa bem mas depois basicamente está tudo uma grande confusão! Ninguém sabe de ninguém, o plano original foi por água abaixo e alguma coisa tem de ser feita para deter a rainha lunática! Gostaram do trocadilho? xD
Após um volume brilhante, "Scarlet", pensei que este talvez não fosse seguir os mesmos passos (o que muitas vezes acontece em sequelas) mas a autora provou que consegue manter o ritmo. 
Em "Cress" não houve tanto o impacto romântico do anterior, mas houve mais acontecimentos, mais acção e mais "ah mãe, o que vai acontecer agora?". Foram uma série de eventos que em última instância mudaram o curso da história e levaram à guerra, que como todos tínhamos vindo a acompanhar, sabiamos que era inevitável, mais tarde ou mais cedo. Os motivos porém não são exactamente os esperados, venham daí e descubram vocês mesmos.
A adorável Cress que teve uma vida difícil, de exclusão e isolamento, finalmente realiza dois dos seus sonhos (ir para a Terra e conhecer o capitão Thorne) contudo a vida ainda lhe reserva muitas adversidades. A jovem porém dá-nos uma lição sobre perseverança, nalguns casos com um estímulo amigo, mas ainda assim não deixa de ser a moça sonhadora, apaixonada, inocente e doce que conhecemos.
Aquele Thorne é incrível! Carismático, engraçado e convencido, mostrou-nos um outro lado da sua personalidade que até então estava escondido por baixo de uma fronte de total desprendimento e despreocupação.
A Cinder continua a sua luta agora que acolheu o seu verdadeiro legado e destino. Empenhada em impedir que o imperador Kai se case com Levana, ela acredita ser a única maneira de salvar a vida dele e assim salvar o planeta do domínio lunar. Vamos ver como é que as coisas lhe correm. Aconselho vivamente :)

quinta-feira, 16 de março de 2017

[2017] TBR Jar Challenge 3

Gente, venho anunciar outro desafio do meu TBR Challenge



* Ler um livro de um autor novo

*Challenge accepted!*

Para ver o progresso dos desafios, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

sábado, 11 de março de 2017

Seduction and snacks [Chocolate lovers 1], de Tara Sivec - Opinião

Título original - Seduction and snacks
Saga: Chocolate lovers #1
Sinopse: Claire is a twenty-something, single mom that grudgingly helps her best friend sell sex toys while she attempts to make enough money to start her own business to give her foul-mouthed, but extremely loveable (when he's asleep) toddler a better life. 
When Carter, the one-night-stand from her past that changed her life forever, shows up in her hometown bar without any recollection of her besides her unique chocolate scent, Claire will make it a point that he remembers her this time.
With Carter's undisguised shock at suddenly finding out he has a four-year-old son and Claire's panic that her stretch marks and slim to none bedroom experience will send the man of her dreams heading for the hills, the pair will do whatever they can to get their happily ever after.
Warning: contains explicit sex, profanity and enough sarcasm to choke a horse.


Opinião:
Nem sei bem como fui dar com este livro, penso que surgiu nas actualizações do GR de alguém. Li a sinopse e percebi que tinha que ler pois estava a precisar de boa disposição no meu dia-a-dia.
Uma universitária decide entregar a sua virgindade a um rapaz que conheceu numa festa da faculdade. O que seria apenas um momento de diversão tornou-se num pesadelo, com a descoberta da gravidez, e ela nem sabia o nome do pai.
A Claire acabou por abandonar os estudos, regressar à sua terra e trabalhar num bar, para poder criar o filho. Quatro anos se passaram e eles reencontram-se no bar, porém ele não se lembra do aspecto dela.
O par está destinado a se encontrar e ele fica interessado na Claire novamente, sem que ela lhe revele nada, até que o inevitável acontece e ele descobre que tem um filho. A aproximação acontece e ainda muitos mais eventos...
Comecei esta história nada convencional e não consegui deixar o livro. A maior parte do meu tempo livre era preenchido com a leitura desta obra. Numa primeira instância é-nos relatada a ocorrência que lhe mudou a vida, a marca que deixou nela, de que modo a afectou e somos depois trazidos até o presente, onde dá-se o "pontapé de saída" para o verdadeiro densenrolar da acção.
Se alguém saltar a sinopse e partir logo para o livro, fica perplexo com a grande aversão da protagonista a crianças e partos. O mais certo é "ficar em choque" com ela a afirmar ter sido mãe ainda antes de todas as suas amigas! 
Por falar em crianças, o Gavin é tão engraçado! Deve ser extremamente difícil lidar com uma criança com tal personalidade, contudo quem está de fora não consegue deixar de rir xD A escritora esteve muito bem com a criação deste personagem.
A protagonista foi também uma personagem que gostei bastante, aconteceu de tudo àquela mulher! Toda aquela série de peripécias e situações caricatas e altamente embaraçosas são demais! Ri mesmo muito, de verdade. Julgo que nunca me deparei com um livro tão engraçado. Aconselho vivamente mas atenção que é para maiores de 18, devido ao conteúdo de teor sexual.

quarta-feira, 8 de março de 2017

The egg [Conto], de Andy Weir - Opinião

Título original - The egg
Sinopse: A short story about the universe.

Opinião:

Esta é uma curta história que dá que pensar, pelo menos na minha opinião. É daquelas coisas que nos deparamos, que é breve mas suscita pensamentos acerca daquilo que nos rodeia, sabem o que quero dizer?
Então lá estava eu a "passear" pelo Goodreads quando alguém tinha acabado de ler isto. Chamou-me a atenção e fiquei curiosa. Um dos comentários referia que era possível ler gratuitamente e segui a hiperligação fornecida.
Ora dou de caras com uma pequena história do pós morte de um homem que acabou de deixar o plano mortal. Para sua surpresa, descobre que o ser humano é reencarnado e terá que voltar à Terra em breve. Mas essa nem é a maior revelação de todas.
Um conto surpreendente que vale a pena descobrir.

segunda-feira, 6 de março de 2017

[2017] TBR Jar Challenge 2

Boa noite meus caros,
o segundo TBR do ano 2017 foi...


* Ler um conto

*Challenge accepted!*

Para ver o progresso dos desafios, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

sexta-feira, 3 de março de 2017

Antes de vos deixar, de Lauren Oliver - Opinião

Titulo original - Before I fall
Editora: Editorial presença
Sinopse: Samantha Kingston tem tudo: o namorado com quem sonhava, três melhores amigas formidáveis e os privilégios que a sua popularidade lhe pode oferecer. Sexta-feira, 12 de Fevereiro, devia ter sido um dia igual a tantos outros. Nada faria suspeitar que iria ser o último… Mas então é-lhe concedida outra oportunidade. Durante uma semana, Samantha vai reviver o último dia da sua vida, tentando perceber os mistérios que envolvem a sua morte e descobrindo o valor de tudo o que está prestes a perder.

Opinião:
Tentada a ler um livro que terá adaptação cinematográfica ainda este ano, escolhi Antes de vos deixar, antes que saísse o filme nos cinemas. Eu nem trailers vi, tampouco opiniões literárias. Simplesmente lancei-me.
A Samantha é uma adolescente feliz e tem tudo o que uma jovem poderia querer da vida. Porém um acidente após uma festa altera de modo permanente o seu destino.
Ao acordar ela logo percebe que há algo de errado, contudo ao experienciar os mesmos eventos do dia anterior, depressa percebe que está a viver um "loop". Algo deve ser feito para quebrar o ciclo, é tempo de mudanças.
Eu gostei mesmo deste livro mas confesso que foi uma leitura difícil por vezes, pois perdi três membros da minha família há pouco mais de um ano.
Achei muito fofo os desenvolvimentos da narrativa que envolviam o Kent e a Sam, após uns dias. Cada vez que interagiam era uma coisa maravilhosa de se ler e dei por mim a torcer por um destino alternativo e um final diferente.
Fiquei com aquela sensação e talvez vocês também tenham ficado, inicialmente não se percebe bem (parecem só tretas adolescentes de popularidade no liceu) mas quanto mais se lê, mais se entende que este é um livro mais profundo e com uma mensagem.
Valorizem e guardem com carinho cada momento, sobretudo aqueles passados com os que mais amam. Nunca se sabe quando é a hora de partir. Aconselho.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

A maldição do vencedor [The winner's curse 1], de Marie Rutkoski - Opinião

Título original - The winner's curse
Saga: The winner's trilogy #1
Editora: TopSeller
Sinopse: Kestrel, jovem filha do poderoso general de Valoria, tem apenas duas opções: alistar-se no exército ou casar-se. Ela tem, no entanto, outras aspirações e procura libertar-se do seu destino, rebelando-se contra o pai.
Num passeio clandestino pela cidade, Kestrel vai parar a um leilão de escravos, onde se depara com um jovem, Arin, que parece querer desafiar o mundo inteiro sozinho. Num impulso, ela acaba por comprá-lo — por um preço tão alto, que a torna alvo de mexericos na sociedade.
Arin pertence ao povo de Herrani, conquistado dez anos antes pelos Valorianos. Além de ser um ferreiro exímio, revela-se também um cantor extraordinário, despertando a curiosidade de Kestrel. Arin, contudo, tem um segredo, e Kestrel não tardará a descobrir que o preço que pagou por ele poderá custar muito mais do que aquilo que alguma vez imaginara.


Opinião:
Li este livro à conta de uma leitura conjunta. Confesso que se não fosse por isso, provavelmente o livro não tinha suscitado interesse em mim apenas pela sinopse.
Kestrel compra um escravo Herrani por impulso e leva-o para casa, onde passa a desempenhar funções de ferreiro. Veio a calhar pois ela é a filha do general e nenhuma outra habilidade é tão adequada. 
Porém ela requer a sua companhia diversas vezes, mesmo em festas da alta sociedade, e logo começam os mexericos. Ela não lhes dá muita importância pois está apenas interessada na sua personalidade distinta e sinceridade. Já ele tem outro tipo de interesse.
Por ser um livro de temática que de uma forma generalizada não me atrai (guerras, conquistas, poder, escravatura), provavelmente irei apenas ler a continuação em conjunto com o grupo (se eles não lerem imediatamente) e não tanto por iniciativa própria. Com isto não estou a insinuar que foi um mau livro, antes pelo contrário.
Um aspecto (muito) negativo do livro é sem dúvida a escravatura. Não há como não enxergar isso mas faz parte da narrativa e da história que está a ser contada, sendo que um povo conquistou outro. Seja como for, a história dá mostras de seguir um caminho que leva à liberdade.
Agradaram-me as mostras de inteligência nas mais diversas situações, o carácter das personagens, o amor pela arte musical (ela por tocar piano, ele por cantar), o uso de estratégia em diversas situações. O próprio conceito dos termos que dão o nome ao livro, foi para mim novidade, nunca ouvi nada de parecido. E depois há também aquele trocadilho, do título com a história, ela levou o prémio consigo mas nesse instante amaldiçoou todos os Valorianos.
Foi divertido ler acerca dos costumes e das disparidades entre os hábitos dos povos. Achei intrigante o facto do povo conquistador ter adquirido hábitos do povo conquistado e passar a integrá-los no seu quotidiano, inclusive junto da alta sociedade. Ao dizer isto, estou a referir-me sobretudo ao simples (e para nós tão vulgar) acto de comer as refeições com talheres! Imagino que terá sido assim na realidade em algum momento da história do Homem, mas uma pessoa normalmente não costuma pensar muito sobre isso, não é?
Se ficaram curiosos, dêem uma vista de olhos e boa leitura :) 

domingo, 12 de fevereiro de 2017

O guardião do tempo, de Mitch Albom - Opinião

Título original - The time keeper
Editora: Sinais de fogo
Sinopse: O inventor do primeiro relógio foi punido por tentar medir a maior dádiva de Deus, sendo banido durante séculos para uma caverna e forçado a ouvir as vozes de todos os que o procuravam em busca de mais tempo, de mais anos. Até que por fim, com a alma quase destroçada, o Guardião do Tempo recuperou a sua liberdade, juntamente com uma ampulheta mágica e uma missão: a oportunidade de se redimir ensinando a duas pessoas o verdadeiro sentido do tempo.
Regressando ao nosso mundo - agora dominado pela contagem das horas que ele tão inocentemente iniciara -, começa uma viagem com dois parceiros improváveis: uma rapariga adolescente que quer desistir de viver e um velho e poderoso homem de negócios que quer viver para sempre. Para se salvar, terá que salvar ambos... e parar o mundo para o conseguir.
Escrito no estilo habitual do autor, esta maravilhosa e original história inspirará os leitores, fazendo-os repensar as suas próprias noções de tempo, a forma como o despendem e o quão importante ele é verdadeiramente.

Opinião:
Após me deparar com alguns títulos do autor, elegi este para demarcar a minha estreia. Não sei ao certo porquê este, mas havia ali qualquer coisa de apelativo.
O protagonista, um rapaz naturalmente interessado, torna-se um homem ainda mais curioso com o passar do tempo. Como é estabelecido, naquela época o conceito de tempo não existia e tampouco era mensurável até o Dor começar a notar um padrão.
Dor começa a associar eventos do dia, que repetem-se dia após dia, com o "andamento" do Sol e eventualmente, observa as fases da lua e associa as mudanças, ao que sabemos agora tratar-se do mês.
Tamanha astúcia não passa despercebida ao Pai do céu, e um mensageiro surge e atribui a Dor a tarefa de ser o pai do tempo. Ele fica confinado numa gruta e é sentenciado a ouvir as lamurias dos homens que pedem sempre por mais tempo.
Gostei imenso! Uma história com tanto significado e tantas mensagens subjacentes! A começar com atribuição de responsabilidade, digamos. 
Causa e efeito. 
Arcar com consequências. 
A possibilidade de redenção. 
Actos altruístas poderão permitir a própria salvação. 
O livro como um todo parece uma lição de vida e "um abre olhos", um alerta.
Eita, quando acabei de ler fiquei um bocado parada a pensar. Quanto desperdício de tempo e de oportunidades? 
Fez-me pensar na minha família, nas saudades que tenho deles, no tempo desperdiçado no tempo mal aproveitado, no valor que têm! É como dizem: a vida são dois dias. Sejam felizes e mantenham perto aqueles que vos são mais queridos, mantenham os laços e o contacto sempre que possível.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Delirium [Delirium 1], de Lauren Olivier - Opinião

Título original - Delirium
Saga: Delirium #1
Editora: Alfaguara
Sinopse: Houve um tempo em que o amor era a coisa mais importante do mundo. As pessoas eram capazes de ir até ao fim do mundo para o encontrar. Faziam tudo por amor. Até matar. Finalmente, no século XXII, os cientistas descobrem a cura para o delírio do amor, uma perigosa pandemia que infecta milhões de pessoas todos os anos. E o governo passa a exigir que todos os cidadãos recebam o tratamento ao cumprirem 18 anos. Quando faltam apenas noventa e cinco dias para a tão aguardada cirurgia, Lena faz o impensável e sucumbe a uma irreprimível e incontrolável paixão… 

Opinião:
Este foi o título que seleccionei para o inicio do desafio trilogia de 2017. Já há algum tempo na minha pilha de livros, decidi lê-lo neste momento.
A leitura demarca igualmente a minha estreia com a popular autora, que brevemente terá um dos seus trabalhos (Before I fall) adaptado ao grande ecrã.
Num mundo dominado pelas emoções, é fácil perder o controlo e sucumbir às vontades. Foi então que os cientistas desenvolvem uma cura para o que parece estar na origem de todos os males, o delírio do amor.
Lena mal pode esperar por atingir a maioridade, quer passar logo pelo tratamento e livrar-se de uma vez por todas do fantasma do passado que foi ter uma mãe cujo tratamento não funcionou.
A vida dá muitas voltas, e o seu destino é selado quando conhece o jovem Alex. Agora tudo o que ela quer é que o tempo não avance, mas como todos sabemos, o tempo é imperdoável.
A história e a evolução da relação dos pombinhos eram fofas e muitas vezes adoráveis, claro sempre havia barreiras mas notava-se que queriam que funcionasse apesar de tudo.
Gostei particularmente de quando foram à selva e ele mostrou-lhe a sua casa com "vista panorâmica", depois ainda tentou reproduzir o efeito na casa abandonada onde se encontravam...que querido! 100% romântico! :)
Aliado ao romance proibido e a quebrar inúmeras regras da sociedade, bem como colocar-se em situações de perigo, a certa altura o livro levanta algumas questões acerca do destino final da sua (incurável) mãe. 
A verdade é que fiquei mais curiosa sobre de que modo o procedimento não funcionou, isto é o motivo. Será ela imune (algo do género do livro Divergente, risos) ou apenas algum componente biológico que impossibilita a acção do procedimento? Será hereditário?
Digam o que disserem acerca do amor, somos confrontados com uma das facetas mais "bonitas" (e tristes) desta complexa emoção, o sacrifício. O acto de sacrificar-se por alguém, colocar o próximo primeiro numa atitude verdadeiramente altruísta, pensando apenas no outro e no seu bem estar.
Tirando o romance, não achei esta uma história por aí além mas todos sabem que gosto de distopias, por isso volume dois, aqui vou eu (na esperança que aquele "cliffhanger" traga desenvolvimentos mais emocionantes).

sábado, 28 de janeiro de 2017

Split second [Pivot point 2], de Kasie West - Opinião

Título original - Split second
Sinopse: Life can change in a split second.
Addie hardly recognizes her life since her parents divorced. Her boyfriend used her. Her best friend betrayed her. She can’t believe this is the future she chose. On top of that, her ability is acting up. She’s always been able to Search the future when presented with a choice. Now she can manipulate and slow down time, too... but not without a price.
When Addie’s dad invites her to spend her winter break with him, she jumps at the chance to escape into the Norm world of Dallas, Texas. There she meets the handsome and achingly familiar Trevor. He’s a virtual stranger to her, so why does her heart do a funny flip every time she sees him? But after witnessing secrets that were supposed to stay hidden, Trevor quickly seems more suspicious of Addie than interested in her. And she has an inexplicable desire to change that.
Meanwhile, her best friend, Laila, has a secret of her own: she can restore Addie’s memories... once she learns how. But there are powerful people who don’t want to see this happen. Desperate, Laila tries to manipulate Connor, a brooding bad boy from school—but he seems to be the only boy in the Compound immune to her charms. And the only one who can help her.
As Addie and Laila frantically attempt to retrieve the lost memories, Addie must piece together a world she thought she knew before she loses the love she nearly forgot... and a future that could change everything.


Opinião:
Ora aqui está o final da duologia pivot point. Num mundo dividido entre pessoas normais e pessoas com habilidades, seguimos um restrito grupo de pessoas com habilidades.
Há algum tempo atrás a Addie investigou o seu futuro e acabou escolhendo aquele percurso por algum motivo, (pediu a Laila para apagar a alternativa da sua memória) porém a vida não lhe está a correr assim tão bem.
Então quando o pai a convida para passar as férias de Inverno com ele, ela não hesita em ir até a parte normal e afastar-se de todo o drama. É aqui que conhece Trevor e a atracção é imediata, porém há algo familiar acerca dele...estará relacionado com o segredo de Laila?
Se no volume inicial a acção era centrada no complexo, esta sequela é dividida entre o complexo e o mundo dos normais. Também acompanhamos aqui dois pontos de vista das melhores amigas, Addie e Laila, o que nos permitiu um melhor seguimento de eventos decorrentes paralelamente, bem como de diferentes perspectivas.
Agradou-me que a eterna "desligada" Laila finalmente começou a nutrir sentimentos por alguém!
Achei muito maldoso o pessoal do complexo fazer acreditar (Spoiler!!!!!) que um familiar estava realmente ali na cidade, para posteriormente revelar-se uma trama completamente diferente! Gostei do rumo que a história tomou, desde o desenvolvimento de habilidades, a capacidade de se perdoar por erros do passado, ultrapassar dificuldades, baixar a guarda, apoiar-se noutros, a introspecção.
Agradou-me igualmente que mesmo sem memória dos possíveis acontecimentos, os sentimentos eram os mesmos para Addie, fez-me pensar e querer acreditar que há coisas pré-destinadas. :) Aconselho. 

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Scarlet [Crónicas lunares 2], de Marissa Meyer - Opinião

Título original - Scarlet
Saga: Crónicas lunares #2 / The lunar chronicles #2
Editora: Editorial Planeta
Sinopse: Cinder elabora um plano para fugir da prisão e, se for bem-sucedida, irá tornar-se a fugitiva mais procurada da Comunidade. Do outro lado do mundo, a avó de Scarlet Benoit desapareceu. Scarlet entra em pânico e, na sua busca, acaba por descobrir que existem muitas coisas sobre a avó que desconhece, assim como ignorava o grave perigo que correu toda a vida. Quando Scarlet encontra Wolf, um lutador de rua que poderá ter informações sobre o paradeiro da avó, sente-se relutante em confiar nele, mas ao mesmo tempo sente-se inexplicavelmente atraída. Scarlet e Wolf tentam desvendar o mistério do desaparecimento da avó, mas deparam-se com outro quando encontram Cinder. Além de todos os problemas em que estão mergulhados, ainda terão de antecipar os passos da maléfica rainha Levana, que fará qualquer coisa para que o belo príncipe Kai se torne seu marido, seu rei, seu prisioneiro.

Opinião:

Cinder escapa da prisão de modo a escapar à sua sentença. Ganha um aliado, Thorne que lhe fornece uma nave de fuga. Porém em vez de ir para África se encontrar com o Dr. que a ajudou, decide ir à Europa em busca de informações acerca do seu passado junto de Michelle Benoit.
Simultaneamente seguimos Scarlet Benoit, que procura desesperadamente pela sua avó desaparecida, contando com a ajuda do misterioso Wolf.
Os quatro cruzam-se e aliam-se, em busca da idosa, mas logo se apercebem que há muito mais em jogo do que apenas um rapto.
Nossa! Gostei bastante deste livro, provavelmente mais do que o primeiro. Foi carregado de acção, aventura e emoções, gostei particularmente dos momentos entre o Thorne e Cinder, ri muito! E a aproximação da Scarlet com o Wolf foi fofa, quanto mais lia mais queria ler. :)
Com tanto desgosto na trama, agradou-me o retorno da personagem Iko, embora numa versão diferente (risos, nem comento). Contrastante com esse retorno, a madrasta reles e nojenta fez uma aparição e mostrou que é o mesmo ser desprezável de sempre.
[Contém spoliers]
Quanto à história em si, tomou outros contornos com o ataque dos lunares aos humanos, deixando bem claro a verdadeira natureza da rainha Levana. As suas intenções são as mesmas porém não se esconde mais.
O que são exactamente aqueles "lobos"? Pronto sabemos que são lunares modificados geneticamente...mas que raio?!! Um povo que tem as habilidades que tem, porque desenvolveriam aquele exército? 
Desta vez a Cinder aka princesa Selene toma consciência do seu papel e apraz-me que tenha decidido tomar uma posição e optado por participa activamente do seu destino. Venha o próximo! 
Uma saga que vale a pena conhecer, aconselho.
P.s. Que linda capa!

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

O feitiço da lua, de Sarah Addison Allen - Opinião

Título original - The girl who chased the moon
Editora: Quinta Essência
Sinopse: No seu mais recente romance mágico, Sarah Addison Allen convida-nos a visitar uma pitoresca cidade do Sul dos Estados Unidos onde duas mulheres bem diferentes descobrem como encontrar o seu lugar no mundo, por mais deslocadas que se sintam.
Emily Benedict vai para Mullaby, na Carolina do Norte, na esperança de resolver pelo menos alguns dos mistérios que rodeiam a vida da mãe. Porém, assim que Emily entra na casa onde a mãe cresceu e trava conhecimento com o avô, cuja existência sempre desconhecera, descobre que os mistérios não se resolvem em Mullaby, são um modo de vida: o papel de parede muda de padrão para se adequar ao estado de espírito do ocupante do quarto, luzes inexplicáveis dançam pelo quintal à meia-noite, e uma vizinha, Julia Winterson, cozinha esperança sob a forma de bolos, desejando não apenas satisfazer a gulodice da cidade mas também reacender o amor que receia ter perdido para sempre. Mas porque desencorajam todos a relação de Emily com o atraente e misterioso filho da família mais importante de Mullaby? Ela veio para a cidade a fim de obter respostas, mas tudo o que encontra são mas perguntas.
Um bolo de colibri poderá trazer de volta um amor perdido? Haverá mesmo um fantasma a dançar no quintal de Emily? As respostas não são nunca o que esperamos, mas nesta pequena cidade de adoráveis desadaptados, o inesperado faz parte do dia-a-dia.

Opinião:

Este título foi a minha primeira leitura do ano, porém este não é o primeiro contacto com a autora. Gostei bastante de ler o jardim encantado e tinha alguma expectativa em relação a esta obra, e digo desde já que foram de encontro a isso. O livro integra o desafio TBR Jar challenge 2017 sob o tópico ler um livro retirado aleatoriamente da estante.
Emily muda-se para Mullaby após a morte da sua mãe e vai viver com o avô que não sabia que tinha. Aparentemente há uma série de coisas que não sabe, está tudo relacionado com a mãe e ninguém lhe quer dizer até o inevitável acontecer. Ela trava amizade com um rapaz que não deveria, pois estão ligados devido ao passado conturbado dos seus familiares.
Paralelamente, a vizinha Julia tem um plano de dois anos ali antes de regressar à sua vida. Mas logo se apercebe que há muito mais na sua antiga vida do que um doloroso passado. Estará o que ela busca traçando o caminho até ela?
O livro segue estas duas personagens e as suas histórias, bem como dos seus relacionamentos com os que as rodeiam. Elas por sua ver interagem e desencadeiam outros eventos. Foi muito bom descobri-las e acompanhá-las naquilo que estavam procurando. Confesso que chegou a uma altura que estava a preferir a história da Julia.
Que livro fofo, adorei, foi simplesmente encantador! A inocência, a bondade, a vontade de fazer a diferença, a esperança, o sonho do reencontro e o toque de magia foram ingredientes chave que me fizeram devorar o livro avidamente.
A obra aborda também feridas antigas, como cada qual lida e ultrapassa as situações, como o perdão pode chegar. Tem bastantes emoções e dá que pensar.
Relativamente aos intervenientes da história, nutri um carinho especial pelo avô e pelo Win, por serem diferentes do padrão "normal" e devido às circunstâncias das suas educações, mesmo assim eram respeitáveis e bondosos. Cada vez que a Julia e o Sawyer interagiam era hilariante, ri mesmo muito com esses dois!
Surpreendi-me com as luzes de Mullaby, quem diria? Uma daquelas coisas que as pessoas sabem mas ninguém fala sobre isso. E até estava relacionado com o mistério principal.
Um livro mágico que adorei e recomendo vivamente :)

sábado, 14 de janeiro de 2017

[2017] TBR Jar Challenge 1

Este desafio veio um pouco mais tarde devido a não ter colocado as fotos mais cedo, apesar de já lhe ter dado inicio há pouco tempo. O primeiro TBR do ano 2017 foi...


* Ler um livro retirado aleatoriamente da estante

*Challenge accepted!*

Para ver o progresso dos desafios, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

TBR Jar Challenge [2017]

Boas! Apesar deste ser um desafio "trabalhoso" fiquei com vontade de fazê-lo novamente, mesmo que não consiga completá-lo. Seja como for, sempre irão haver livros a serem lidos e cada leitura é um ganho :)
O TBR é o acrónimo de To be read (a ser lido), e o desafio consiste em escrever títulos de livros que temos por ler, em pequenas tiras de papel, dobrá-las, colocá-las num recipiente, e ir retirando aleatoriamente. O título que sair é o próximo livro a ler, sem batota.
Isto é muito bom para ajudar a baixar a pilha que está em lista de espera, mas pode-me acontecer não estar com disposição para ler o livro que saiu. Então vou usar uma versão modificada do desafio, na qual escrevo nos papéis um tópico generalizado, permitindo-me uma escolha do título dentro desse tema. :)

Proponho os seguintes tópicos:

* Ler um livro de literatura distópica - 
* Ler um livro retirado aleatoriamente da estante - O feitiço da lua
* Ler um livro que nunca terminei -
* Ler um livro de um autor novo para mim - Jogador n.º1
* Ler um livro de um autor que já li mas noutro registo (exemplo: outro género literário ou para diferente faixa etária) - 
* Ler um livro escolhido por outra pessoa - 
* Ler um livro de um autor que não seja europeu nem norte-americano - 
* Ler um livro de uma série que já tenha iniciado - 
* Ler um livro escolhido por ter a capa bonita - 
* Ler um conto - The egg
* Ler um livro emprestado - 
* Ler um livro infantil (ou infanto-juvenil) - Rumpled stilton skin
* Ler um livro de um autor europeu - 
* Ler um livro sugerido pelo Goodreads - 


O aspecto do meu TBR jar deste ano é este

Ainda não preparei x) mas quis já lançar o desafio



Sempre que tirar um papel, vou associar o título ao respectivo tópico, na própria opinião.
Farei como nos outros desafios, à medida que vou lendo, vou actualizar com o link directo para os respectivos títulos, para que possam ver a opinião.
Sempre que quiserem ver os desafios e o progresso dos mesmos, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

Desafio literário - Desafio das cores 2017

Olá leitores, 
há dois anos deparei-me com um desafio que relacionava livros com cores, aderi e gostei tanto que irei novamente fazê-lo :)
O desafio consiste em ler nove livros, estando cada um relacionado com uma cor, quer seja integrante do título do livro ou sendo a cor dominante na capa.
O desafio foi proposto por um blogue estrangeiro e assim que o vi, soube que tinha que realizá-lo! Só que modifiquei alguns exemplos sugeridos e fiz uma alteração na alínea 9, antes dizia apenas um livro com palavra que implica cor, adicionei a opção uma capa que implica cor.

Sendo que a cor terá que ser uma palavra integrante do título do livro ou a cor dominante na capa, as categorias são:


1 - um livro com azul ou tons relacionados (ciano, azul marinho, turquesa...)

Antes de vos deixar, Lauren Oliver

2 - um livro com vermelho ou tons relacionados (cor de vinho, carmesim, borgonha...)

Scarlet, Marissa Meyer

3 - um livro com amarelo ou tons relacionados (limão, dourado...)



4 - um livro com verde ou tons relacionados (lima, esmeralda...)
O feitiço da lua, Sarah Addison Allen

5 - um livro com castanho ou tons relacionados (avelã, chocolate...)

O guardião do tempo, Mitch Albom

6 - um livro com preto ou tons relacionados (carvão, ébano...)

Delirium, de Lauren Oliver

7 - um livro com branco ou tons relacionados (pérola, marfim...)



8 - um livro com outra cor qualquer ainda não mencionada (rosas, arroxeados, laranjas, prateados, cinzas...)

A maldição do vencedor, de Marie Rutkoski (rosa)

9 - um livro com uma capa ou palavra que implica cor (arco-íris, riscas, xadrez, às bolinhas, estampado, pálido, sombreado...)




Notas:

Qualquer livro é válido de Janeiro a 31 Dezembro.
É possível que livros deste desafio constem de outros.

À semelhança dos outros desafios, à medida que vou lendo vou actualizar com o link directo para os respectivos títulos, para que possam ver a opinião. 


Sempre que quiserem ver os desafios e o seu progresso, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo
 do nome do blogue.

Desafio literário - Novos autores 2017

O desafio "Novos autores" consiste em ler obras de autores que nunca lemos anteriormente. Quer seja por curiosidade ou sugestões de terceiros, o importante é conhecer outros trabalhos.
Decidi então que irei ler pelo menos entre 8 a 10 novos autores, e proponho-me a realizá-lo durante o ano. À medida que vou lendo, venho cá actualizar com o link directo para os títulos das minhas estreias, para que possam ver a opinião.
Desafio-vos a se juntarem a mim! :)

Os meus eleitos para 2017 são:

- Lauren Oliver - Delirium
- Mitch Albom - O guardião do tempo
- Marie Rutkoski - A maldição do vencedor
- Tara Sivec - Seduction and snacks
- Ernest Cline - Jogador nº 1
- The lying game - Sara Shephard
- H.P. Lovecraft - O caso de Charles Dexter Ward
-
-


Sempre que quiserem ver os desafios e o progresso dos mesmos, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, e serão remetidos para o seu respectivo link.

Desafio literário - Diversidade literária 2017

Hey,
deixo o convite a quem me queira acompanhar neste desafio. A ideia é abranger outros estilos literários e assim trazer mais variedade às nossas leituras. Inclusive poderei criar eventos no facebook, que serão divulgados aqui no blogue e também na página do blogue no facebook.
Consoante a disponibilidade, poderei não conseguir ler um género literário diferente todos os meses, mas tentarei ler de 2 em 2 meses. Por essa razão esta secção poderá ser alterada ao longo do tempo. Aceito sugestões :)
À medida que vou lendo, venho cá actualizar com o link directo para os títulos das minhas leituras, para que possam ver a opinião.
Por agora as propostas são:


Janeiro: Literatura fantástica/Romance sobrenatural
O feitiço da lua, de Sarah Addison Allen

Fevereiro: Distopia
Delirium, de Lauren Oliver

Março: Retelling
Cress, de Marissa Meyer

Abril: Romance


Maio: New adult


Junho: Suspense ou mistério


Julho: Romance contemporâneo


Agosto: Romance histórico


Setembro: Ficção científica


Outubro: Young adult


Dezembro: livre


Sempre que quiserem ver os desafios e o progresso dos mesmos, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

2017 Desafio literário Janeiro - Literatura fantástica/Romance sobrenatural

Olá olá,
já estamos em 2017 e isso significa que está na altura do desafio literário da praxe!
Pelo terceiro ano consecutivo iniciamos o ano novo com um desafio literário para Janeiro, que à semelhança do ano transacto, integra o desafio Diversidade literária:
uma maratona mensal relativa à literatura fantástica/Romance sobrenatural!
Pode ser lido qualquer título, desde que seja restrito às referidas categorias, quer seja um livro apenas, vários diferentes, ou mesmo uma saga, a escolha é vossa meus amigos!

Planeio ler:

Sarah Addison Allen - O feitiço da lua
Marrisa Meyer - Scarlet


Sempre que quiserem ver os desafios e o progresso dos mesmos, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

domingo, 1 de janeiro de 2017

Adeus 2016, Feliz Ano Novo!

Assim terminou mais um ano, recheado de muita leitura. Foi o ano que consegui ler mais, e apesar da disponibilidade, consegui terminar os desafios literários a que me propus. Alguns custaram mais do que outros, mas efectivamente proporcionaram momentos agradáveis, de um modo geral.
Contrariamente ao que esperava, a saga Eve foi um pouco complicada de ler, pois não me agradou muito o primeiro volume. Como tal, foi difícil voltar "à carga" e prosseguir, porém acabou ficando melhor de se acompanhar.
No lado oposto do espectro, adorei dar seguimento e conclusão à saga Red rising. Como já referi antes, nunca pensei gostar tanto de uma saga que é largamente pautada por violência, e crueldade nalgumas situações. A inteligência, surpresa e reviravoltas na sucessão de eventos foram simplesmente cativantes, mantendo-me agarrada à leitura do inicio ao fim. 
Cada vez que ouvia a música Defector dos Muse na ocasião das leituras associava à história, por diversos versos " you think you're strong and you can't be broken, but your empire is dissolving, you thought, you thought I was weak, but you got it wrong" (...) "you think your throne is too high to be overthrown" (...) "free, yeah i'm free from society, you can't control me, i'm a defector (...)" :)
Que venha 2017, repleto de boas leituras, quero ver se participo mais nas leituras conjuntas e talvez tenha que ser menos ambiciosa com alguns desafios (dependendo do tempo livre). 
Posto isto, desejo-vos um excelente ano novo, que tenham saúde, amor e prosperidade! Sejam felizes e façam por isso :)
Boas leituras :)


- A administração, 
Bioquímica da Leitura